Retrospectiva Literária 2012.


Olá o/ Então, eu vi esse post lá no blog da Ane e resolvi fazer essa retrospectiva - ninguém me indicou nem nada, estou fazendo de intrometida. Adoro fazer essas coisas, mas nunca sei direito o que falar, então me perdoem se eu parecer responder a mesma coisa para várias perguntas. Não sou muito criativa.

Vamos lá!

Retrospectiva Literária 2012.

1. O romance que me fez suspirar.
Então, assumo que não li muitos romances esse ano, então é provável que eu não tenha suspirado muito com os livros. Uma pena, vou tentar ler um romance logo no começo do ano. Eu disse tentar.

2. A saga que me conquistou.
Li o segundo da série "Os Heróis do Olimpo" do Rick Riordan e estou cada vez mais apaixonada por esta. Preciso imediatamente do terceiro livro.

3. O livro que me fez refletir.
Acho que "Tão Mais Bonita" da Cara Hoffman. Apesar de não ter caído de amores pelo livro, me fez refletir sobre a sociedade em que vivemos e coisas do tipo.

4. O livro que me fez rir.
O da Lola e o Garoto da Casa ao Lado, com certeza. Chorei de rir com esse livro, muito divertido.

5. O livro que me fez chorar.
A Culpa é das Estrelas, sem mais. Ainda não consigo pensar nesse livro sem que meu coração quebre em pedacinhos.

6. O melhor livro de fantasia.
Eita, agora me pegou. Eu não sei, sinceramente, acho que nenhum. Olha que triste.

7. O livro que me decepcionou.
Belo Desastre, claro. Essa leitura foi sofrível para mim. Esperava gostar, já que vi tantos elogios, mas acabou sendo ruim.

8. O livro que me surpreendeu.
Não me lembro de muitos, acho que nenhum. Será? Minha memória está fraca e meu ano literário foi sofrível.

9. A frase que não saiu da minha cabeça.
"Tentei ler o livro novamente, antes de dormir. Não gostei da história, mas continuei a ler pelas mesmas razões que uma pessoa continua a fazer algo de que não gosta muito: você se sente mal por não tentar mais um pouco, afinal de contas já leu o bastante pra desistir agora, e fica achando que as coisas vão melhorar". É do livro Um Lugar para Ficar. Achei incrível essa frase, sem mais.

10. O casal perfeito.
Só perguntas difíceis, credo. Ah, acho que meu casal perfeito ainda continua sendo Nora e Patch, de Hush Hush. Adoro eles, tem como não adorar?

11. O (a) autor (a) revelação:
Eu ainda não li o livro dela, mas acho que é a Samanta Holtz. A conheci esse ano e ela é simplesmente demais. O Pássaro está entre as minhas leituras para as férias, espero poder ler e depois conto o que eu achei.

12. O melhor livro nacional.
Eu li poucos livros nacionais esse ano, então não sei realmente o que responder. Na verdade eu acho eu não sei o que responder em nenhuma, triste.

13. O melhor livro que eu li em 2012:
A Culpa é das Estrelas, de novo. Foi maravilhosa essa leitura para mim, com certeza a melhor.

14. Li em 2012:
60 livros (contando com o que eu estou lendo agora e quase terminando), ultrapassei minha meta para esse ano que era 50. Uhu!

15. A minha meta literária para 2013 é:
Vou de 50 livros novamente, sempre arrisco nesse número. Espero poder ler mais do que esse ano, mas não creio que passarei disso. Mas vou tentar.

É isso ai pessoal o/ Esse é o último post do ano, então quero desejar um Feliz 2013 para todos vocês, que esse ano seja recheado de coisas boas.

O Pesadelo - Lars Kepler.

Título: O Pesadelo.
Traduzido de: The Nightmare.
Autor: Lars Kepler.
Editora: Intrínseca.
Nota: 2/5.

Após conquistar os leitores em O hipnotista, o detetive Joona Linna está de volta em O pesadelo. Best-seller internacional, o thriller policial de Lars Kepler foi aclamado por público e crítica em dezenas de países. Agora, o autor nos deixa sem fôlego com um novo quebra-cabeça, cujas peças o detetive mais carismático, intuitivo e obstinado da Suécia precisa encaixar. Tudo começa quando a polícia descobre o corpo de uma jovem dentro uma lancha à deriva no arquipélago de Estocolmo. Seus pulmões estão cheios d’água e os médicos legistas afirmam que ela morreu afogada. No entanto, o barco está em perfeito estado e o corpo e as roupas da mulher estão secos. No dia seguinte, um alto funcionário do governo sueco aparece enforcado em seu apartamento. Ele flutua no ar enquanto uma enigmática música de violino ressoa por todo o ambiente. Tudo indica que foi suicídio, mas o salão tem pé-direito alto e não há nenhum móvel em volta no qual ele possa ter subido. Encarregado de desvendar os dois mistérios, o detetive Joona Linna tenta estabelecer um vínculo entre esses acontecimentos que, à primeira vista, não têm relação. Ao descrever o curso vertiginoso de eventos para os quais a lógica é um mero prelúdio, o mais assustador em O pesadelo não são seus crimes horripilantes, mas a psicologia obscura de seus personagens, que mostram como somos todos cegos a nossas próprias motivações. (SKOOB)

Olá pessoas o/ Como passaram o Natal? Espero que muito bem. Estou aqui com mais uma resenha. Eu sei que apesar de ser um blog literário tenho que inovar e não postar só resenhas, mas elas estão aos montes aqui. Prometo que o próximo não será de resenha. Enfim, a resenha de hoje é do livro O Pesadelo como já puderam perceber. Li o primeiro livro desse casal (o nome é um pseudônimo para um casal sueco), que foi "O Hipnotista', e acabei gostando apesar de alguns detalhes. Esperava gostar desse também, mas não foi exatamente o que aconteceu.

O livro começa com duas mortes. A primeira é de uma garota encontrada num barco afogada. Porém suas roupas não estavam molhadas e o barco em boas condições. A outra é de um executivo encontrado enforcado em sua própria casa, porém parecia ser impossível a chance de ser suicídio. O detetive Joona Linna está novamente nesse livro e vai tentar resolver esses casos, por mais impossíveis que possam parecer.

Então, nem sei como começar falando desse livro. Apesar de ter gostado do outro livro (não é bem uma continuação, só o mesmo detetive que aparece e alguns outros, enfim), não tinha muitas expectativas para esse. Na verdade é difícil eu ter expectativas para livros policiais, geralmente eu os deixo me surpreender. O começo desse foi bem interessante. A descoberta dos corpos e a primeira impressão do detetive sobre os casos. Entretanto, foi só por isso que mereceu minhas duas estrelinhas, já que o resto do livro foi sofrível. Achei que teve muita enrolação, capítulos desnecessários e o desfecho final totalmente previsível - pelo menos para mim.

Faltou emoção, ação e surpresa. Antes da metade do livro já sabia quem seria o possível assassino. O tema também não me agradou muito, falou sobre exportação de munições e afins. Sei lá, não curti. Outra coisa que não gostei foi o fato de sempre incluírem algum conteúdo sexual. Sempre. Seja uma palavra, uma foto, sei lá. Não fica bem em todo livro isso - nesse não ficou, pelo menos para mim.

Os personagens são totalmente sem graça. Acho que o autor não se aprofunda muito neles e acaba ficando um tanto superficial. Não consigo me apegar a eles, por isso nem tenho direito o que falar. O detetive Joona é bem determinado, mas acho que ele sempre tem as respostas para tudo por mais louco que ele seja. Gente, ele não é Poirot nem Sherlock, não dá para ser assim. Simples. Não gosto dele, muito exibido para o meu gosto.

Resumindo: me decepcionou totalmente. Não digo que foi a decepção do ano pois li vários livros ruins esse ano - 2012 não foi tão elegante assim para mim, que pena. Enfim, se quiserem ler é só tentar a sorte, talvez acabem gostando. Resenha pequena, mas não sabia mais o que falar sobre esse livro, acho que o que eu escrevi foi o suficiente. É isso pessoal, fim.

Noite Infeliz - Seth Grahame-Smith.

Título: Noite Infeliz.
Original: Unholy Night.
Autor: Seth Grahame-Smith.
Editora: Intrínseca.
Nota: 3/5.

Uma das cenas mais icônicas da história: três homens montados em camelos chegam a uma manjedoura carregando ouro, incenso e mirra como presente a um bebê. Na vastidão do céu do deserto, uma estrela brilha intensamente. Um momento de serenidade e graça. Uma noite feliz. Mas quem eram os Três Reis Magos? A Bíblia quase não fala deles. Seus nomes sequer são mencionados. O registro histórico é impreciso. Por que achamos que eles eram reis vindos do leste? E se fossem ladrões sanguinários da pior espécie, fugindo pela Judeia e esgueirando-se na escuridão da noite? A escrita habilidosa de Seth Grahame-Smith mistura fatos históricos a uma atmosfera de mistério para criar uma trama épica: os chamados "Três Reis Magos" são liderados pelo enigmático criminoso Baltasar - o infame "Fantasma da Antioquia". Homens que escaparam da brutal prisão de Herodes e foram parar, por acaso, na famosa manjedoura do Rei recém-nascido. A última coisa de que Baltasar precisava era perder tempo com José, Maria e o filho do jovem casal. Porém, quando os guardas de Herodes começam a matar bebês primogênitos na Judeia, o ladrão não tem alternativa senão ajudar a família a chegar ao Egito. Assim começa uma história sombria e selvagem, protagonizada por figuras bíblicas como Pôncio Pilatos e João Batista, em que a magia dá lugar à perversidade humana.  (SKOOB)


Eu não sei nem por onde começar essa resenha. Na verdade sei sim: sobrevivemos ao fim do mundo, palmas para nós. Adoro esse tema, deveria ter mais livros sobre fim do mundo. Continuando: não tinha expectativas para esse livro, na verdade eu nem sabia muito sobre ele antes da Intrínseca lançá-lo. Enfim, eu li um livro do autor ("Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros", que é uma lindeza sem fim) e pensei que seria divertida essa outra leitura. Foi mais ou menos. Vamos à resenha.

O livro fala sobre a tal da Noite Feliz, onde o menino Jesus nasceu em uma manjedoura e blábláblá. Bom, reza a lenda de que Três Reis Magos foram até o menino e deram presentes. Mas quem são eles? De onde vieram? Que tipo de homem eles era? Nessa trama o líder deles é Balthazar, conhecido também como Fantasma da Antioquia. Ele e os outros acabaram de fugir da prisão de Herodes. A última coisa que eles precisavam era perdem tempo com aquele casal e o seu filho, mas mesmo assim eles ajudam. E é nesse ponto que a história deles complica mais ainda. (Péssima sinopse, melhor ler a original mesmo)

Ainda não sei o que falar sobre esse livro. Vamos começar com o básico do básico. A narrativa é em terceira pessoa, então podemos ver não só os protagonistas, mas também as outras pessoas que estão envolvidas na trama. A escrita do autor é adorável e te deixa preso ao livro. Mesmo que eu estivesse cansada queria ler mais e mais. Porém o que me deixou um pouco entediada foi a sensação de já saber essa história. Digo, tem zilhões de filmes sobre o tema. Então eu meio que já sabia onde ia parar tudo isso, mesmo que o livro se concentre mais no Balthazar do que no bebê, Maria e José.

Gostei do fato de que a cada começo de capítulo foi incluída um trecho da Bíblia e que tinha a ver com o que ia acontecer. Tem poucos capítulos também e cada um deles é dividido em partes, sendo estas curtinhas e rápidas de ler. O livro é curtinho, creio que demorei uns dois dias para ler. Eu acho, nunca conto direito.

Um ponto positivo é que tem muita ação. O que é bem óbvio já que eles estão fugindo – apesar de já sabermos que eles conseguem escapar. Tem muito sangue e cenas desse tipo. Eu simplesmente adorei. Essas batalhas cheias de sangue foram o que mais me prenderam no outro livro dele que eu li, então fiquei satisfeita que essa parte foi incluída nesse novo livro.

Vale ressaltar que adorei a capa e a textura dela. Por dentro tem um mapinha para sabermos onde eles estão e como é tudo muito longe. Eu tinha dó deles, não foi fácil a jornada, muito sol e inimigos rondando.

Fala muito também sobre fé. O Balthazar não acredita em nada, já perdeu a fé faz muito tempo. Já a Maria é muito crente e os dois vivem discutindo sobre isso. Assumo que as partes mais divertidas são quando eles estão brigando, mesmo pela coisa mais boba. Bom, foi divertido para mim. Não vou falar mais sobre os personagens. Apesar de eles serem diferentes dos que aparecem na história bíblica, não me sinto muito legal falando sobre eles. Tudo pode ser usado contra mim um dia, então prefiro me manter calada.

Mas do Balthazar eu posso falar uma coisinha: ele é muito ninja, sério. Ninguém quer esse cara como um inimigo. Medo.

Pelas três horas seguintes, três reis magos dormiram em um estábulo apertado junto de seu ouro e de seu incenso, as feridas tratadas com mirra. José, Maria e o menino dormiram do outro lado, de frente para eles. Em silêncio. Todos sob a estrela de Belém”. (Página 90)

Resumindo: eu gostei do livro, mas me deixou um pouco entediada. No começo era tudo muito bacana, mas depois foi ficando cansativo. Apesar de tudo, eu recomendo se você gosta das batalhas sangrentas, fale a pena. É isso ai pessoal. Provavelmente esse é meu último post antes do Natal, então quero desejar para vocês um ótimo Natal. Espero que vocês estejam juntos com quem amam e ganhem muitos presentes. Fim. 

Tudo o que Ela Sempre Quis - Barbara Freethy.

Título: Tudo o que ela Sempre Quis.
Original: All she ever wanted.
Autora: Barbara Freethy.
Editora: Novo Conceito.
Nota: 3/5.


A busca por um terrível segredo pode não ser a melhor opção. Ela era a melhor amiga deles, ou assim eles pensavam — até anos mais tarde, quando seus segredos os levam a uma perigosa busca pela verdade sobre quem ela realmente fora... e por que morrera... Dez anos atrás, em uma festa louca, a linda e estonteante Emily caminhava para sua morte, deixando seus três melhores amigos e suas "irmãs" — Natalie, Laura e Madison — devastados. Nenhum deles esquecera aquela noite — ou o papel que cada um teve na morte de Emily, a culpa que os persegue e a perda que ainda sofrem. Agora, um escritor desconhecido entra na lista dos livros mais vendidos com um romance similar à história deles. Quem é ele? Como ele sabe os detalhes íntimos de suas vidas? E por que ele está acusando um deles como assassino? Quando eles começam a desvendar a verdade sobre a amiga em comum, irão redescobrir um amor que ela perdeu há muito tempo e descobrir segredos que vão mudar sua vida para sempre... (SKOOB)

Quando eu li a sinopse desse livro me lembrei muito de um seriado americano do qual eu gosto. Então, é óbvio, queria muito lê-lo e minhas expectativas eram boas. Entretanto, nunca é bom ter boooooas expectativas. Eu nunca aprendo, qual é o meu problema? E eu também sei que só tem resenha nesse blog ultimamente, mas é que elas estão atrasadas, então já viu. Prometo que vou pensar em mais novidades para o ano que vem se o mundo não acabar, é claro.

O livro conta sobre quatro amigas. Uma delas já não está mais entre nós. Há dez anos, em uma festa muito louca, Emily acabou caminhando para o mundo dos mortos. Bateu as botas. Suas amigas, Natalie, Laura e Madison ficaram devastadas. Depois daquela noite cada uma seguiu o seu rumo, sem se falarem por um longo tempo. Entretanto, um livro lançado recentemente parece conter uma trama semelhante a vida das amigas. Quem é esse escritor? Como ele sabe tantas coisas da vida delas? E porque está falando que uma delas é acusada do assassinato da amiga quando declaram que foi um suicídio? Tudo muito estranho. Então, as amigas partem em busca pela verdade, sobre quem era a Emily de verdade e o que aconteceu no dia em que ela morreu. Isso vai dar em coisa boa, já sabem, né?

Primeiro quero começar falando sobre o nome do livro. Durante a trama essa frase é dita algumas vezes e pode até fazer um pouco de sentido, mas ainda é muito estranho para mim. Não é uma tradução mal feita, o original é igual. Não curti. Poderia ter um título melhor. Enfim, isso não interessa. Como disse antes, me lembrou muito um seriado Pretty Little Liars, fala sério, igualzinho e acabei criando algumas expectativas para o livro. Li muito rapidamente, em dois dias já tinha acabado. O começo é bem interessante. Descobrimos o livro, o escritor misterioso e um pouco sobre o que a Natalie e as meninas se lembram do passado e, especialmente, daquela noite trágica. Só que com o passar da trama vai se focando muito no romance da Natalie e do Cole, o irmão da Emily. Eles namoravam antes da menina morrer, mas depois todos culparam Nat (para simplificar, que nome grande) eles acabaram se distanciando e nunca mais se falaram. Resumindo, eles se encontram novamente em um dia e por conta do estranho livro se reaproximam. Nem é spoiler dizer que acaba rolando um romance em entres, de novo. Continuando, acaba se focando muito neles e o mistério em si acaba ficando distante.

Poderia ter menos páginas. Tem 320, mas acho que pelo menos umas 190 são de enrolação. Falo mesmo. A autora poderia ter simplificado muito as coisas. Alguns capítulos eram inúteis. Porém isso é só minha opinião, nada contra a autora, por favor. A revelação final foi muito tosca, não gostei. Me surpreendeu um pouquinho, mas achei sem graça. Poderia ter sido bem melhor.

O livro ganhou três estrelinhas pelo começo bom e, apesar dos pesares que eu já citei, me manteve presa até o final. Por mais entediada que eu já estava em algumas partes.

Não gostei dos personagens também, todos chatos. A Natalie é uma ‘mimimi’. Apesar de ela ter ido a fundo e procurado saber o que realmente poderia ter acontecido com a sua amiga, não curti ela. Achei sem graça e chata. A Laura no começo é um tanto boba e depois acaba melhorando, indo atrás dos seus sonhos e não ficando só na cola do marido. Não gostei dela também. A única que despertou meu interesse foi a Madison. Ela é a mais bad girl da turma e parece ser a única que realmente conheceu um lado diferente da Emily. Ela tem atitude e não desiste fácil não. Gostei mais ou menos. Ganhou alguns pontinhos comigo. O Cole é um chato e apesar da protagonista estar sempre ressaltando (apesar do livro sem em terceira pessoa) o quanto ele é bonito, não consegui imaginá-lo desse jeito. Um chato. Ainda tem mais dois personagens, mas também não gostei deles então nem vou comentar nada.

Resumindo: eu até recomendo já que o livro me prendeu apesar de tudo. Não é um livro que eu releria para todo o sempre, mas é um bom passatempo. É isso galera. Fim.

O Primeiro Dia - Marc Levy.

Título: O Primeiro Dia.
Original: Le Premier Jour.
Autor: Marc Levy.
Editora: Suma de Letras.
Nota: 2/5.

Ambiciosa e apaixonada, a arqueóloga Keira comanda uma escavação no Vale de Omo, na Etiópia – e, quando uma tempestade de areia destrói o local, se vê obrigada a retornar à Europa. Mas traz consigo um estranho pingente, que recebeu das mãos de um menino etíope. Em Londres, disputando uma bolsa de pesquisa, seus caminhos se cruzam com o de Adrian, um renomado astrônomo – e seu ex-caso, de muitos anos atrás. Numa visita ao apartamento dele, ela esquece lá o pingente, acendendo em Adrian tanto o interesse científico pela origem do artefato quanto o amoroso por sua dona. Logo se tornará claro para o casal que eles não são os únicos interessados no pingente, e que há gente disposta a tudo para consegui-lo. Keira e Adrian partem numa viagem que os levará a vários continentes, seguindo mapas traçados a partir das estrelas e pistas enterradas no solo. E sua meta é achar a resposta para perguntas que intrigam a todos desde o início dos tempos. (SKOOB)


Eu nem sei o que começar a falar desse livro na resenha. Não esperava muito dele, para ser sincera, mas mesmo assim acabou me desapontando. Talvez minha pessoa esteja muito criteriosa com os livros ultimamente – o que eu acho que estou. Que seja, vamos logo ao que interessa.

O livro conta sobre duas pessoas em especial. Adrian é um astrônomo e procura pela estrela ‘mãe’, aquela que foi a primeira a brilhar em todo o céu. Keira é uma arqueóloga e sua meta é descobrir o fóssil do primeiro humano que caminhou sobre a Terra. Entretanto, um pingente dado a ela por um garotinho vai unir os dois e levá-los a uma aventura surpreendente em busca das perguntas que eles tanto querem respostas.

Bom, por onde começar? A narrativa é em primeira pessoa quando o capítulo se foca no Adrian, sendo ele quem narra. Nos outros em que o foco se torna as demais personagens, é em terceira pessoa. A trama do livro é muito complexa. Não me considero uma pessoa burra, eu sei de tudo um pouquinho, mas esse livro me fez acreditar que meu QI é zero. Tudo o que eles falavam sobre as estrelas me confundiam muito. Eu adoro estrelas, entretanto não me interesso muito por elas como um objeto de estudo. Pode ser que devido a isso tudo o que o Adrian explicasse sobre elas fazia a minha cabeça rodar, rodar e rodar. Não consegui entender tudo, apenas alguns meados. Talvez o livro seja apenas para pessoas com mais capacidade intelectual do que eu. Ou não, talvez o linguajar seja muito técnico e só as pessoas dessa área conseguem entender tudo. Se vocês já leram me contem suas experiências nos comentários.

Apesar disso, o mistério todo que os envolve sobre o estranho pingente, e toda a ligação que ele possa ter com o início dos tempos, foi bem interessante. As pessoas de todo o mundo conspirando sobre isso e falando em enigmas que me deixaram bravas. Muitas perguntas são lançadas no livro, mas poucas respostas chegam. Isso sempre me deixa com raiva. Não me entendam mal, adoro um mistério, só que adoro as respostas também. Elas nunca vêm no primeiro livro. Raramente.

Uma coisa que achei bacana foi o monte de lugares diferentes que a trama se passa. Em Paris, depois Londres, Etiópia, China e assim vai indo. Os capítulos não têm numeração (tipo ‘capítulo um – a cidade em chamas’), são apenas iniciados com o nome do lugar em que está se passando aquilo. Também devo citar que tem uma grande pitada de ação. O pessoal que tenta esconder o segredo do pingente vai pra cima deles em vários momentos. O casal principal faz o que pode para se aguentar firme e forte enquanto pode. Gostei.

Falando dos pombinhos, eles não chegam a ser bem um casal. Claro que tem um romance e eles passam algum tempo juntos, mas não é meloso. Nem teria como ser quando os dois estão atrás de um mistério e fugindo de pessoas malucas que tentam pegá-los. Adrian é muito sem sal, igual a Keira. Acho os personagens bons, eles são inteligentes e vão contra todos para descobrir as respostas do que procuram. Entretanto não me agradaram e creio que isso pode ter dificultado minha leitura também. Apesar de eu raramente gostar muito de uma personagem, estou acostumada a seguir a leitura mesmo que eles me desagradem, mas dessa vez foi tenso. Sério mesmo. Espero que melhorem no segundo livro. Tem vários outros personagens, só que os dois principais merecem um destaque aqui. O restante é todo suspeito, não confio em ninguém.

Resumindo: uh, não sei se recomendaria, mas sempre tem as pessoas teimosas que querem ler apesar da opinião dos outros. Então, se quiser ler, leia. Se não quiser ler, não leia. Tão simples, nem sei por que estou falando isso. “O Primeiro Dia” tem sua continuação no segundo livro, “A Primeira Noite”. Eles pularam a tarde, mas vamos relevar. Fim.

Leviatã: A Missão Secreta - Scott Westerfeld.

Título: Leviatã - A Missão Secreta.
Original: Leviathan.
Autor: Scott Westerfeld.
Editora: Galera Record.
Nota: 4/5.

Scott Westerfeld, autor da série Feios, reinventa aqui a Primeira Guerra Mundial em uma narrativa steampunk. Em lados opostos, mekanistas lutam com aparatos mecânicos movidos à vapor e darwinistas usam imensos animais geneticamente modificados, e adaptados para a batalha. Alek Ferdinand, príncipe do império austro-húngaro, está sem saída. Perdeu seu título e o apoio do povo, restando apenas um imenso ciclope Stormwalker e um grupo leal de homens. Por outro lado, Deryn Sharp é uma jovem plebeia que se disfarça de homem para ingressar na Força Aérea Britânica. Os caminhos dela e de Alek se cruzarão de maneira inesperada, levando-os a bordo do Leviatã para uma viagem que mudará suas vidas. (SKOOB)

Não, eu asseguro para vocês que esse livro não tem nada a ver com a sétima temporada de Supernatural. Eu sei, sempre penso nisso toda vez que vejo esse título. Mas não tem nada a ver. Para falar a verdade, não esperava nada desse livro e acabei me surpreendendo. Viu, é bom não ter expectativas. Que orgulho de mim mesma.

O livro é uma narrativa steampunk (que confesso, não conhecia muito) e envolve ficção com alguns fatos reais. A Primeira Guerra Mundial está quase para começar. Há dois lados envolvidos nisso: os mekanistas, que tem máquinas super potentes que fazem de tudo, e os darwinistas, munidos com seus animais mutantes maravilhosos. Alek Ferdinand é o príncipe do império austro-húngaro, que é mekanista e mesmo assim se vê sendo perseguido por seus 'aliados'. Deryn Sharp é apenas uma pobre menina querendo entrar para a Força Aérea Britânica, onde só os meninos são aceitos. Onde os caminhos dele se cruzam? A bordo do Leviatã, onde farão uma viagem totalmente inesperada e cheia de surpresas.

Como eu disse ali no começo, o livro me surpreendeu apesar de não ser completamente o meu estilo. Eu sabia um pouco sobre o que se tratava o livro, mas não criei nenhuma expectativa. Li o outro livro do autor, "Feios", e acabei não gostando muito, entretanto resolvi dar uma chance para ele com esse livro. A narrativa é em terceira pessoa e, como já disse, mistura um pouco de ficção do dados reais. Os capítulos se intercalam entre mostrar o lado do Alek e depois no outro sobre a Deryn, até que eles se encontram e tudo fica junto e misturado. Perdeu uma estrelinha comigo pois achei que demorou um pouco para 'engrenar' a trama e fiquei confusa com algumas coisas (sempre fico, o problema sou eu mesmo). Mas de resto foi tudo muito bom. Muitas aventuras e tem uns desenhos super lindos que ilustram tudo perfeitamente.

Sou totalmente team darwinistas, só para esclarecer os possíveis elogios exageros para esse lado da guerra. Os animais modificados por eles são fantásticos e tudo o que eles fazem... poderia ser verdade. Fiquei com um pouco de invejinha deles por conta desse avanço, mas tudo bem. Os mekanistas têm máquinas potentes, só que não conseguiu me encantar. Acho que os dois deveriam se unir e formar animais mecânicos (?) para todo o sempre.

O final me intrigou demais. É uma trilogia, então já esperava que o final fosse assim, mas mesmo assim. Tem mil e uma ideias passando pela minha cabeça agora sobre o que é todo esse mistério. Eu tenho uma alternativa na qual eu aposto forte, porém ainda não sei o que pensar e nem posso dizer aqui para não soltar spoilers. Já estou a espera do segundo livro, tomara que não demore muito. Outra coisa que eu deveria comentar: a capa é linda, super adorei as partes em alto relevo e afins. Muito bonita mesmo.

Os personagens não me cativaram muito já que meus remédios acabaram e minha síndrome resolveu aparecer. Digo, eles são interessantes, mas nada me fez adorá-los. O Alek é um moleque mimado no começo. Seus pais morreram e ele se vê sozinho no mundo, apenas com alguns fiéis seguidores dos seus pais e uma máquina enorme para ajudá-los a fugir. Durante o decorrer do livro ele vai aprendendo mais sobre o que está acontecendo e amadurecendo, sendo extremamente necessário em várias partes do final do livro. Fez algumas coisas muito burras, mas eu ainda tenho fé nele. A Deryn é uma girl on fire. Ela vai atrás do que quer, mesmo que algumas mentirinhas básicas tenham que ser contadas no meio do caminho. Achei ela bem mais interessante do que o Alek, então acabei gostando um pouco mais dela. Outros personagens aparecem na história, é claro, mas preferi falar apenas deles dois. Não preciso falar mal de todos, né? Só saibam que eles são importantes e desempenham um papel na história, nenhum é tão inútil assim.

Resumindo: o livro é surpreendente e eu gostei, espero pelo segundo volume para saber quais as outras aventuras que esperam por eles. É isso ai, fim.

A Ascensão dos Nove - Pittacus Lore.

Título: A Ascensão dos Nove.
Original: The Rise of Nine.
Autor: Pittacus Lore.
Editora: Intrínseca.
Nota: 5/5.

Antes de encontrar John Smith, o Número Quatro, eu estava sozinha, lutando e me escondendo para continuar viva. Juntos, somos ainda mais poderosos. Mas isso só vai durar até precisarmos nos separar para localizar os outros. Fui até a Espanha em busca da Número Sete e encontrei mais do que esperava: um décimo membro da Garde, que conseguiu escapar vivo de Lorien. Ella é mais jovem que o restante de nós, mas igualmente corajosa. Agora estamos à procura dos outros — de John inclusive. (SKOOB)



Eu adoro essa série, mas é sempre uma surpresa para mim quando os livros são lançados. Nunca sei do nome ou quantos mais livros terão. Sou totalmente desinformada, acho que já sabem disso. A única coisa que eu quero é que não acabe nunca, porém sabemos que tudo tem um fim, então espero que os próximos livros continuem tão majestosos como esses três ("Eu Sou o Número Quatro", "O Poder dos Seis" e esse) são. Só isso.

Essa resenha poderá ter spoilers para quem não leu os dois primeiros livros. Leia por sua própria conta e risco.

Bom, o livro começa algum tempinho depois de onde o último terminou. Sam foi sequestrado. O Quatro encontrou o número Nove e a Seis foi ao encontro da Sete - onde acabou encontrando a Dez também. Enfim, eles ainda estão tentando ficar fora de perigo e achar um ao outro - já que juntos eles são mais fortes agora que o feitiço foi quebrado. Entretanto, nada será tão fácil como eles pensam. Nunca é.

Dei uma lida no segundo livro para recapitular algumas ideias antes de ler esse, nunca me lembro de nada mesmo. O pessoal não deveria demorar para lançar livros quando são em série. Enfim, voltando ao que realmente interessa. O livro é ótimo. Eu nem sei mais o que falar dessa série de tão boa que ela é. Tem ação, pessoas morrendo, um romance básico e extraterrestres. Tipo, adoro tudo o que tem nessa trama, ponto final. Esse terceiro volume foi narrado em primeira pessoa pela Seis, pela Sete e pelo Quatro. O que difere a narrativa deles são as fontes das letras usadas na narração, mas confesso que nesse fique um pouco confusa entre as letras da 6 e a do 4. Com certeza é só um problema meu, sou extremamente problemática. Esses diferentes pontos de vista são muito interessantes. Eu sou suspeita para dizer, pois adoro narrativa em primeira pessoa, mas simplesmente amo. Acho que no próximo mais um número deverá narrar. Só espero que eles achem fontes de letras o suficiente para todos os números Q

Um fato que eu acho super positivo: o autor não tem medo de colocar os personagens em situações totalmente perigosas. Eles estão sempre metidos em alguma confusão e você nunca acha que eles serão capazes de sair dessa. Eu sempre acho que alguém vai acabar morrendo - alguns morrem. Muita ação, muitos poderes loucos sendo usados e pessoas se ferindo. Não consigo expressar o quanto eu amo essa série devo estar parecendo uma psicopata agora, mas tudo bem. Nenhum ponto negativo, pelo menos eu não encontrei. Acho que é tudo surpreendente, nunca sei o que esperar. Essa resenha se resume em poucas palavras: só tenho elogios ao livro. Tudo acontece em tão poucas páginas e fica... perfeito.

Não sei mais o que esperar dos próximos, só tenho certeza de que ainda terá muita ação e de que os nossos numbers favoritos ainda terão muito o que enfrentar para voltar ao planeta deles. Isso se eles conseguirem, nunca se sabe, tudo é possível. Tudo mesmo, sério.

Eu já falei muito do Quatro/John por aqui, mas vamos lá de novo. Eu o adoro, mas ele consegue ser um completo babaca tem horas. MEU, LARGUE MÃO DE SER BABACA! Pronto, desabafei. Nesse livro ele teve a capacidade de me irritar em várias partes. Meu personagem favorito ainda é o cachorro. Sei que ele não é um cachorro propriamente dito, mas essa é minha forma favorita dele (assim como a do Quatro/John). Nesse livro ele tem um novo parceiro, já que o Sam foi capturado, que é o Nove. Um irritante, chato, arrogante e, apesar de tudo, conseguiu 'quebrar' um pouco toda a chatice do Quatro. Ele é bem treinado e ajudou muito ele nesse livro, então apesar da minha opinião sobre ele, o Nove veio a calhar na história.

A Marina/Sete é uma gracinha. Eu adoro ela e toda sua fofura. O poder de cura dela é simplesmente o melhor desse livro. Todo mundo se fere e ela está bem ali, pronta para ajudar. É tipo um 911 da vida, sabe? Gosto disso. Também tem a número Dez que achei uma graça também. Ela ainda é novinha e apareceu já no outro livro, mas acho que gostei mais dela nesse livro. A Sarah ainda me dá nos nervos, não vejo a hora dela ir dessa para a melhor. Outro número que aparece é o Oito, que é super arrogante e metido. Não curti ele, simplesmente isso. Vou esperar pelo próximo livro para dar minha opinião final. E por último o vilão, Setrakus Rá. Gente, esse cara é muito do mal, ele é amigo do demônio. Sério, fiquei com medo dele. Acho que o pessoal está totalmente enrascado.

Só mais uma coisa antes de acabar: eu não queria ser um Cêpan, eles não têm sorte na vida.

Resumindo: se você ainda não começou a ler essa série, comece agora. Não tem desculpas depois dessa resenha que só enche o livro de elogios. Acho que falei até coisas sem nexo, mas é que não consigo expressar o quanto eu gosto dessa série a acho um máximo. Leiam e saberão. É isso, fim.

Promoção de Ano Novo.



Dá para acreditar que já estamos no final de mais um ano! Passou muito rápido não é? E para garantir que o seu 2013 vai começar como pé direito, os blogs do Clube do Livro de Sorocaba se uniram novamente e trazem para vocês uma super promoção.

Confira com é fácil ganhar e participe!

 • Promoção – Ano Novo Premiado.

prêmios:
- 1 Kit Conselho de Amiga
- 1 Kit Do seu Lado
- 1 Kit Postais do Coração
- 1 Kit Romeu Imortal
- 1 Livro Julieta Imortal + Brindes
- 1 Livro O Reino + Brindes
Prêmio Extra: 1 Kit de Esmaltes DOTE.

• Informações.
- Não esqueça de ler o Terms &Conditions que está incluso no Rafflecopter.
- Somente para quem tem endereço de entrega no Brasil.
- A promoção vai de 05 de dezembro a 05 de janeiro.
- Será apenas um ganhador.
- Para se inscrever basta inserir suas entradas no formulário Rafflecopter abaixo.
- A primeira inscrição é livre, para entradas extras leia a instrução de cada uma.
- O sorteado será anunciado neste post após o dia 05 de janeiro de 2013.
- O sorteado terá 3 dias para retornar o e-mail com seus dados, ou um novo sorteio será realizado. 
- Na opção twittar sobre a promoção, basta clicar no ícone do twitter que uma janela aparecerá com a mensagem que você deve twittar e é só confirmar e depois copiar o link e colar no local indicado.
- Usar o tweet about the giveaway apenas 1 vez por dia, com a seguinte frase: "Ano Novo Prêmiado só com o #vamoslerumlivro e a @Novo_Conceito"


Rafflecopter: a Rafflecopter giveaway

ATUALIZADO:
Então gente, o sorteio já acabou e a ganhadora foi a Fernanda! Parabéns para ela, que faça um bom proveito dos livros. E se você não ganhou, nada de desanimar, hein?

Oksa Pollock e o Mundo Invisível - Anne Plichota e Cendrine Wolf.

Título: Oksa Pollock e o Mundo Invisível.
Original: Oksa Pollock - L'Inespérée.
Autoras: Anne Plichota e Cendrine Wolf.
Editora: Suma de Letras.
Nota: 3/5.

A jovem Oksa Pollock, de 13 anos, era uma estudante que acreditava ser igual a todos os outros. Em certo momento, aflita com o início das aulas na escola nova, Oksa percebe ser a causa de fenômenos estranhos em seu quarto. Um canto da escrivaninha pega fogo, caixas explodem. Ela, que sempre sonhara ser uma ninja, descobre que possui dons sobrenaturais. Confusa e aterrorizada, evita comentar esses fatos com outras pessoas. Estes estranhos acontecimentos vêm acompanhados do aparecimento de uma misteriosa marca em sua barriga. Muito assustada, Oksa conta tudo à avó, a excêntrica Dragomira, que lhe confessa o segredo de suas origens: a família Pollock vem de Edefia, um mundo invisível, escondido em algum lugar na Terra. Oksa descobre ser a Inesperada, a única esperança dos exilados de Edefia de voltarem à terra de origem. Diante das novidades e da missão para a qual foi escolhida, Oksa não será mais a mesma. Mesmo com a ajuda de seu melhor amigo, Gus, descobre o quanto é difícil conciliar a vida escolar normal e cumprir o seu destino. Neste primeiro volume da série de sucesso na França, Oksa Pollock e o mundo invisível apresenta uma narrativa dotada de fantasia e das contradições vividas por uma jovem que descobre subitamente uma realidade que jamais havia imaginado. (SKOOB)

Eu já tinha lido algumas resenhas sobre esse livro, mas assumo que não estava morrendo de vontade de lê-lo. Então chegou o segundo da série aqui em casa e eu decidi ler o primeiro. Ok, não é de todo ruim, foi uma leitura agradável.

O livro fala sobre uma garota chamada Oksa Pollock. Tudo estava relativamente normal na sua vida. Se mudou da França para Londres, foi para uma escola onde tinha que usar saia que ela detestava e ainda por cima tinha um professor que a detestava. Mas ela não é uma garota normal. Começou com bolas de fogos saindo de suas mãos, depois foi a levitação e uma marca estranha surgindo em sua barriga. É ai que ela descobre os segredinhos de sua família e tudo sobre o mundo invisível estranho de onde eles vieram, Edefia. Só para piorar, ela é a maior esperança deles de um dia retornar para a querida terra. Assuma, você não queria estar no lugar dela. Eu não queria.

Adorei toda essa trama do mundo invisível e as histórias que contaram sobre ele. Como era dividido, seus povos, as Graciosas e afins. Queria que tivessem mostrado um pouco mais sobre algumas partes pelas quais me interessei, porém acredito que deverá ser explorado nos próximos livros (que eu creio serem apenas três, contando com esse, viva). As autoras falam muito sobre as plantas e criaturas estranhas que eles conseguiram resgatar lá de Edefia. Apesar de ser interessante, eu não consegui entender direito cada uma delas e nem visualizá-las em minha mente. Eram muitas e com os nomes mais estranhos possíveis. Mas assumo que adorei a planta que era totalmente paranoica e em algumas momentos 'desmaiava' do nada. Então apesar de elas terem falado muito sobre as plantas e afins, acho que deveriam colocar em um capítulo no final do livro ou algo do tipo sobre cada uma delas de forma separada para melhor entendimento de pessoas lerdas e sem criatividade como eu. Das criaturas estranhas, eu super adorei os Foldingodos. Eles me lembraram os elfos domésticos de Harry Potter (ain, saudades infinitas) e eu simplesmente adorei eles. Não tem como não adorar.

Uma coisa que me incomodou muito foram as repetições. Falavam a mesma coisa várias vezes em capítulos separados, sabe? Tipo, ela conta a história da Bela e a Fera (?) no segundo capítulo, depois repete tudo no quinto, depois no décimo e assim vai. Entendem? Não havia sempre essas repetições, mas as que tinha me incomodaram um pouco. Outra coisa que me incomodou: o final. Digo, me deixou querendo ler o próximo livro e ver os próximos acontecimentos, entretanto achei um pouco fraco. Poderiam ter feito algo melhor. Mas tudo bem, pelo menos me deixou curiosa para o próximo.

O ponto bom foi que eu gostei dos personagens. A Oksa tem doze/treze anos, ainda está tentando entender tudo isso que foi jogado nas costas dela e fazer o melhor que pode. Claro, ela usa os poderes de forma infantil algumas vezes, porém eu a perdoei. Gostei bastante da personagem e da relação dela com a família e o amigo Gus. Isso foi bem explorado e eu consegui ver eles como uma linda família. O amigo dela, Gus, mudou-se junto com a família dele para Londres também e eles são inseparáveis. Ele é uma gracinha e sempre do lado da Oksa, tentando fazer com que ela não entre em muitas confusões. Entretanto a menina é uma bagunceira, não dá. A avó e os pais dela são bons também, vê-los ajudando ela e tentando entender ainda tudo isso que a filha deles tem que passar foi muito interessante. Só queria ter visto o pai ter em cenas de ação, ele deve ser muito bom. Espero que tenha no segundo livro.

"- Quanto a isso, não é culpa minha - lembrou Oksa, sacudindo os ombros de maneira fatalista - Os Pollock são exagerados por natureza, como se sabe. É o sangue russo... Bom, vou deixar em suspenso minha decisão sobre fazer escândalo e ter crise histérica. Só quero que nos ponham na mesma sala, pelo amor de Deus!" Página 22.

Resumindo: recomendo o livro, apesar de algumas coisas que me incomodaram durante a leitura, creio que a série tem um grande potencial. Adorei. Fim.

Sonhos - Alyson Noël.

Título: Sonhos.
Original: Fated.
Autora: Alyson Noël.
Editora: LeYa.
Nota: 4/5.

Daire Santos é uma adolescente de 16 anos, filha de uma maquiadora de Hollywood, que namora estrelas de cinema e viaja com a mãe por todo o mundo. Até que coisas estranhas começam a acontecer com ela: visões com corvos e pessoas brilhantes, o tempo que para de andar, sonhos com um belo menino de olhos azuis-gelo. Os médicos acham que se trata de um caso psiquiátrico. Sua avó, curandeira respeitada na pequena cidade de Encantamento, Novo México, afirma que pode curá-la com suas ervas e poções. Sem alternativa, Daire vai para uma cidade perdida no meio do nada, longe da mãe, e com a avó que até então não conhecia. O que parecia ser o fim, no entanto, revela-se o início de uma grande aventura: guiada pela avó, Daire descobre ser uma Buscadora de Almas, descendente de uma linhagem poderosa que, através dos tempos, vem garantindo o equilíbrio entre o bem e o mal tanto no nosso mundo quanto em outros mundos e outras dimensões. (SKOOB)

Acho que todo mundo sabe que eu adoro a Alyson e a série Os Imortais que ela escreveu. Sua uma das poucas pessoas, assumo. Enfim, quando soube dessa outra série dela que seria lançada (agora pela LeYa) simplesmente precisava ler esse livro. Finalmente o li e... não sei porque não fiz isso antes. Sério, estou sendo totalmente imparcial. Adoro a autora, mas se fosse ruim eu falaria... mas não é (pelo menos para mim).

O livro fala sobre sonhos e o que eles significam, só que não uma garota chama Daire Santos. Ela vive viajando por todo o mundo junto com sua mãe, que é a maquiadora de Hollywood, e conhecendo as maiores estrelas dos filmes. Entretanto coisas estranhas começam a acontecer com ela, como as 'paradas' do tempo, os corvos e as pessoas brilhantes. Sem contar os sonhos com um belo garoto de olhos azuis. Os médicos disseram que ela estava louca, num surto psicótico, tão nova para estar sofrendo disso, pobre coitada. Sua mãe não vê outra solução senão mandá-la para a casa da avó da menina no Novo México. A vovó afirma que com suas ervas e poções poderá ajudá-la a ficar melhor. Daire acha que será horrível, não quer ir para um fim de mundo morar com a sua avó louca, mas as coisas revelam-se melhor do que ela imaginava. Ou pior, depende de como você vê o fato de descobrir ser uma Buscadora de Almas que tenta manter o equilíbrio entre o bem e o mal. Medo.

Sou suspeita para falar, mas adorei o livro. Toda essa mitologia do mundo dos Buscadores de Alma, do Mundo Mediano, Inferior e Superior. As ervas, poções e as energias que cada coisa tem e como elas podem te afetar de alguma maneira. Tudo muito bom. Ok, eu fiquei um tanto confusa sobre todas as funções e objetivos que um Buscador tem, porém creio que a protagonista esteja confusa também. Só queria algo explicado mais detalhadamente, entretanto irei superar com os próximos livros. A narrativa é em primeira pessoa e a protagonista não me irritou, o que já considero um ponto super positivo. Tem bastante ação, muitas coisas estranhas e nojentas, e tudo fica muito bom junto.

Um ponto super positivo que eu amei de paixão e que todos os livros devem falar sobre: o Dia dos Mortos. Não se sabem (?), mas é comemorado no dia 02 de Novembro (q). Todo mundo sempre fala do Halloween e as festas a fantasia, mas ninguém liga para o pobre dia dos que já-não-estão-mais-entre-nós. E é bem explorado nesse livro sobre o significado do dia para eles e o que pode acontecer. Adorei, adorei. Outra coisa que me agradou foram os espíritos animais, que é um animal ah vá que ajuda o Buscador e o guia em suas missões. Queria ter um também. Aposto que seria o pior de todos, sou muito azarada. Enfim, continuando, adorei o começo, o meio e o finalzinho onde rola toda a confusão. Porém o final mesmo, tipo o último capítulo, foi sem graça. Eu fiquei curiosa e torcendo para que o próximo livro saia logo para mais aventuras da Daire, só que poderia ser melhor. Mais tudo bem, no primeiro livro de algumas séries o final é bem morno mesmo, depois esquenta e você arranca os cabelos por conta dos acontecimentos. Quem nunca?

Minha síndrome não atacou, muito gracinha ela. A Daire não é burra como a Ever, a achei super mente aberta e tentando fazer o melhor que podia (depois que aceitou o fato de ser uma Buscadora). Foi interessante o fato dela passar por uma iniciação para esse 'trabalho', a pessoa não pode já nascer sabendo tudo, tem que ensinarem ela. Percebi também um amadurecimento na personagem durante o livro, espero que ela não me faça odiá-la nos próximos.Talvez ela só tenha escolhido o irmão errado, creio que combina muito mais com o 'mal' do que o bom. Não acho que isso seja um spoiler, mas desculpa se acham que é. Dace é um garoto super bonzinho, gentil e meigo, totalmente o oposto de seu maligno irmão gêmeo, Cade. Viu, os nomes são ao contrário para mostrar que eles são diferentes ao extremo. Bom, eu acho que seja por isso, enfim. Gostei deles sendo mostrados de uma forma bem 'nada a ver' um com o outro mesmo e como a Daire fazia para saber qual era qual. O Cade é maligno, como eu já disse, nojento, super charmoso e... eu gostei mais dele, não posso negar. Porém, todo mundo sabe que a mocinha fica com o mocinho no final e o vilão sofre um castigo eterno. Não sei porque me iludo ainda.

Vale falar também sobre a avó dela, Paloma. Ela esconde muitas coisas da neta e eu fico com muita raiva disso pois acaba não revelando para os leitores também. Só que entendo que isso se deve ao fato da Daire ainda não estar pronta para tudo o que está por vir. O relacionamento das duas é muito bonitinho.

"- Então está resolvido. Não há espaço para discussão. Viverei com alguma velha bruxa médica, que tem um veterinário assustador, velho, pervertido, assassino em série, entre seus amigos. Ótimo - Aceno com a cabeçam agraciando-a com um sorriso que é tudo menos genuíno - Se eu sobreviver a isso, vou me assegurar de incluir em minhas memórias. Se não, você pode incluir nas suas". Página 42.

Resumindo: eu super recomendo, ponto final. Adorei o livro e apesar de ter achado alguns pontinhos negativos, não foi nada que atrapalhasse o meu amor pelo livro. Estou esperando pelo próximo, vamos ver no que vai dar. Então deixem o seu possível preconceito com a autora de lado e leia esse livro. Fim.

A Destinada - Paula Ottoni.

Título: A Destinada.
Autora: Paula Ottoni.
Páginas: 397.
Nota: 3,5/5.

Eliza Stewart tem um dom incomum. Ela é vidente. Sempre fez parte de sua vida salvar as pessoas com quem se preocupa, prevenindo acidentes e inconveniências que pré-visualizou em sua mente. Mas nada nunca se comparou ao tipo de visões que começa a ter aos dezoito anos, numa noite em que “vê” um rapaz sendo sequestrado de um trem. Os dois passam a ter “encontros” em sonhos, totalmente reais, ocasiões em que ele diz que será assassinado e ela é a única que pode impedir essa tragédia. Agora Eliza precisa reunir coragem, fugir de casa e sair em uma viagem incerta para tentar salvar essa vida e, quem sabe, recuperar seu grande amor. Veja mais em: www.adestinada.com (SKOOB).

Acho que faz uma ou duas semanas que eu já li esse livro, porém só agora estou fazendo a resenha. Na verdade a autora deve estar me odiando pois já me mandou o livro faz um tempinho e só agora estou aqui falando sobre ele. Sou uma péssima pessoa.

O livro fala sobre Eliza, uma menina que tem um dom incomum: ela é vidente. Sempre usa isso para coisas pequenas, como avisar os seus familiares sobre possíveis acidentes que possam acontecer com eles. Mas sempre essas coisas básicas, diferente da visão que ela teve desta vez. Em uma noite, Eliza 'vê' um rapaz sendo sequestrado e depois disso começa a ter 'sonhos' com ele, nos quais ele diz que está em perigo e que só ela poderá ajudá-lo. Eliza então parte para sua missão e tenta salvar a todo custo o menino dos seus sonhos. É basicamente isso, não posso falar mais coisas e soltar spoilers.

Gostei da história do livro. Ok, é comum esse tema da mocinha com dons que precisa salvar o garoto. Mas alguma coisa nesse livro me cativou. Gostei de como a autora escreveu, não ficava perdida e gostei muito de como a história deles acabou se juntando. Não estava esperando por isso. Os sonhos foram bacanas e como eles foram explicados depois, principalmente o 'dom' dela também no final. Aproveitando que falei sobre o final, não gostei muito dele. Foi merecido, só que eu estava torcendo por um outro. Típico, nunca acontece nada que eu quero. Até os livros fazem isso comigo, já não basta as séries. Ok, eu dei um pouco de risada no final porque ele confunde e achei engraçado. Não uma confusão ruim, mas uma boa (?). Que resenha confusa, perdi o jeito para fazer resenhas já :S

De pontos negativos, achei que em algumas partes a autora poderia ter cortado ou então acelerado um pouco os acontecimentos. Entretanto, as partes de ação que tem mais para o final do livro são muito boas. Apesar de saber que o 'bem' provavelmente venceria no final, eu ainda fiquei roendo as unhas torcendo loucamente. Não posso fazer nada para evitar isso. Ah, outra coisa que eu super gostei: tem frases de autores diferentes no começo de cada capítulo. Teve algumas muito boas, anotei na minha agenda de quotes.

Eu gostei da Eliza, a personagem principal. Tudo bem, ela é um tanto louca e não mede esforços para salvar o garoto. Mesmo assim, achei ela uma boa personagem, daquelas que corre atrás do que quer, fica confusa entre dois garotos, mas no final tudo se ajeita. Se eu fosse os pais dela iria surtar com as coisas que ela faz nesse livro. Muito louca, tsc tsc. Só ela também que me interessou, não gostei do 'garoto dos sonhos', o Joe Jonas. Sei que ele é a vítima e que eu deveria ficar com dó dele, mas ao invés disso acabei não me interessando por ele. Não estava torcendo para que o pobre coitado morresse também, não foi tão grave assim. Gostei mais ou menos do Will. A Eliza conheceu ele em um dia e já estava indo pra lá e pra cá com ele. E se o menino fosse um serial killer? Eles sempre parecem inofensivos, mas não são. Ela é louca, eu disse. O Will ajuda muito ela em tudo, bacana da parte dele, então por isso ele ganhou uns pontinhos comigo.

"Não conseguia acreditar que aquele pesadelo estava começando de novo. E era quase que literalmente um pesadelo. Mas eu sabia bem demais que eram minhas visões. E era isso que me incomodava, porque não me importava em sonhar com coisas ruins, se eu sabia que era tudo mentira. Mas com minhas visões era diferente. Era real demais, e era verdade" Página 12.

Resumindo: eu recomendo o livro. Achei sim um pouco parado e não gostei do final, mas em geral o livro é bem interessante. Recomendo sim sim. Queria agradecer a autora que gentilmente me enviou a cópia do livro para ler e resenhar. Muito obrigada. É isso ai, fim.

Promoção - Natal Literário.



AHÁ! O Natal está chegando, digo, se o mundo não acabar primeiro, é claro. Mas enfim, que tal ganhar cinco kits com livros maravilhosos de Natal? Seria muito bom não é mesmo?
Se você já se empolgou com a ideia, é só participar dessa super promoção que o Clube do Livro de Sorocaba traz especialmente para vocês leitores queridos.

Confira como é fácil e participe!

Promoção – Natal Literário.

• prêmios:

- 1 Kit A Arte da Imperfeição
- 1 Kit Bem mais Perto
- 1 Kit Cuco
- 1 Kit Um Ano Inesquecível
- 1 Kit Um Homem de Sorte

• Informações.

- Não esqueça de ler o Terms & Conditions que está incluso no Rafflecopter.
- Somente para quem tem endereço de entrega no Brasil.
- A promoção vai de 18 de novembro a 14 de dezembro.
- Será apenas um ganhador.
- Para se inscrever basta inserir suas entradas no formulário Rafflecopter abaixo.
- A primeira inscrição é livre, para entradas extras leia a instrução de cada uma.
- O sorteado será anunciado neste post após o dia 14 de dezembro de 2012.
- O sorteado terá 3 dias para retornar o e-mail com seus dados, ou um novo sorteio será realizado.  
-  Na opção twittar sobre a promoção, basta clicar no ícone do twitter que uma janela aparecerá com a mensagem que você deve twittar e é só confirmar e depois copiar o link e colar no local indicado.
- Usar o tweet about the giveaway apenas 1 vez por dia, com a seguinte frase: "Natal Literário com prêmios incríveis é com o #vamoslerumlivro e a @Novo_Conceito" "


a Rafflecopter giveaway


ATUALIZADO:
Então gente, o sorteio já acabou e a ganhadora foi a Tairine! Palmas para ela, espero que se divirta com os livros.

Divulgação e Resultado das Promoções.

Olá o/ Eu sei, aposto que todo mundo está realmente querendo minha cabeça. Desculpa não ter postado nos últimos dias e ter adiado tanto para divulgar o resultado da promoção de aniversário de dois anos aqui do blog.

Mas enfim, vou falar primeiro sobre o encontro da Turnê Literária que terá aqui em Sorocaba e eu estou muito feliz, bons autores vão vir. Espero que vocês possam vir também.


E sim, agora vamos com os resultados das promoções. Primeiro o de Halloween que estava fazendo em parceria com as meninas lindas que participam da organização do clube também. E a vencedora foi....


A Patricia! Parabéns. Já foi entrado em contato e ela já retornou. Só ainda não mandei o prêmio dela, mas irei.

O segundo sorteio é da promoção de dois anos aqui do blog que estava valendo um kit de PS Eu te Amo. E a sorteada foi:


A Letícia! Parabéns. Vou entrar em contato e ela terá três dias para me responder, senão um novo sorteio será realizado. É isso ai galera. Fim.

Feita de Fumaça e Osso - Laini Taylor.

Título: Feita de Fumaça e Osso.
Original: Daughter of Smoke and Bone.
Autora: Laini Taylor.
Editora: Intrínseca.
Nota: 4/5.

Pelos quatro cantos da Terra, marcas de mãos negras aparecem nas portas das casas, gravadas a fogo por seres alados que surgem de uma fenda no céu.Em uma loja sombria e empoeirada, o estoque de dentes de um demônio está perigosamente baixo. E, nas tumultuadas ruas de Praga, uma jovem estudante de arte está prestes a se envolver em uma guerra de outro mundo.O nome dela é Karou. Seus cadernos de desenho são repletos de monstros que podem ou não ser reais; ela desaparece e ressurge do nada, despachada em enigmáticas missões; fala diversas línguas, nem todas humanas, e seu cabelo azul nasce exatamente dessa cor. Quem ela é de verdade? A pergunta a persegue, e o caminho até a resposta começa no olhar abrasador de um completo estranho. Um romance moderno e arrebatador, em que batalhas épicas e um amor proibido unem-se na esperança de um mundo refeito. (SKOOB)

O último livro cinco estrelinhas que eu li foi em agosto (ACEDE que é lindo de morrer, pelo menos para mim q) e estava muito confiante de que esse seria o próximo. Mas não foi dessa vez, ainda não, estou a procura novamente. Tenho que me livrar da síndrome das três estrelinhas (tenho muitos problemas psicológicos relacionados a literatura, os psicólogos deveriam me estudar). Enfim, vamos logo ao que interessa.

Feita de Fumaça e Osso conta sobre Karou (outro nome estranho), uma menina que tem duas vidas. Em uma ela é estudante de arte com seus desenhos lindos e perfeitamente realistas de personagens estranhos, como o cara com pescoço de girafa. Já na outra, ela ia para qualquer lugar do mundo para coletar dentes para o demônio que lhe criou - que também é um dos desenhos que ela costuma fazer - e era amiga de muitas outras criaturas estranhas. Tudo está muito bom até que mãos negras aparecem gravadas a fogo nas portas das casas e seu mundo vira pelo avesso. Linda sinopse, nada digna desse livro, mas foi o melhor que eu consegui.

Nem sei o que falar desse livro. Ele é completamente lindo. Achei muito bem escrito e consegue te prender de uma forma sem igual. Quando o comecei, me vi virando as páginas loucamente querendo saber o que significava aqueles dentes e o que era aquela porta estranha que ela não podia entrar na loja do demônio. O universo que ela criou para tudo isso é demais. Não sei o que falar, de verdade. Eu adorei tudo nesse livro. Não me vi perdida no meio dos capítulos ou coisa parecida. Ok, no início era estranho ela falando sobre desejos, criaturas estranhas, lojas de dentes e afins. Mas depois vamos descobrindo sobre tudo isso e acaba fazendo sentido. Parece até real.

Você estão devem estar se perguntando: "Que louca, se ela gostou tanto porque o livro foi quatro estrelinhas e não cinco?". Se vocês estiverem mesmo se perguntando isso, eu lhes respondo: "Por causa do romance, queridos". Eu adoro um romance básico nos livros, deixa tudo um pouco mais emocionante - não em todos, mas na maioria. Nesse livro o romance foi... estranho. Não gostei dos dois juntos. No finalzinho do livro eles ficam um pouco mais juntos e isso foi - me perdoem a palavra - um saco. Não aguentava mais, queria ação, ação e ação. Ação de verdade gente, não do tipo de ação dos livros estilo 'cinquenta tons' e afins. Achei interessante como a autora entrelaçou a história deles, mas não gostei do romance. O final foi muito bom, fiquei de queixo caído, não imaginava nunca que isso ia acontecer. Deve ser mentira, não posso acreditar. Só me resta esperar pelo próximo.

E quem são 'eles'? A protagonista é Karou, como já disse ali no começo da resenha. Eu a adorei! Super corajosa e corria atrás do que queria. Além, de claro, conciliar as duas 'vidas' que ela tinha. Ok, Karou não conseguia tão bem assim - mas do mesmo jeito, gostei dela. Claro, super amei o fato de ela ser irônica em algumas partes. Adoro personagens assim, só para deixar registrado aqui. Entretanto o Akiva, o 'anjo', é um chato. Não achei ele o gatão do pedaço, pelo contrário, imaginava ele muito feio. Além de muito mala, é claro. Akiva (nome estranho ta na moda, é?) mudou um pouco durante o livro, porém não consegui gostar dele mesmo assim. No final então, quase o esganei.

Os amigos 'demônios' dela são muito perfeito. Brimstone é fantástico. Ok, eu queria bater nele em algumas partes, mas depois que tudo fez sentido... queria tanto abraçá-lo. Muito amor. Issa, a mulher serpente, é uma querida e me lembrou da Medusa, juro. Ainda tem o Yasri e o Twiga que são lindos também. Outra linda, porém não demoníaca, é a Zusana que é a melhor amiga da Karou. Muito amor também.

"- Correu tudo bem? - perguntou Issa.Karou levou com grande esforço as presas para dentro do vestíbulo, tendo de empurrá-las para um canto para que coubessem.- Claro - respondeu, desmoronando na parede - Eu arrastaria presas por Paris todas as noites se pudesse. Foi tão divertido." Página 50.

Resumindo: muito amor (+2) para esse livro, achei a história perfeita e o ritmo é ótimo, porém acabei não gostando muito do romance. Recomendo para todo mundo, sem mais. Agora fico a espera do próximo livro, estou torcendo para ser ainda melhor. Fim.

O Diário de Jack, O Estripador - Shirley Harrison.

Título: O Diário de Jack, O Estripador.
Original: The Diary of Jack the Ripper: the chilling confessions of James Maybrick.
Autora: Shirley Harrison.
Editora: Universo dos Livros.
Nota: indeterminada.

James Maybrick é apresentado como Jack, o estripador (serial killer que apavorou Londres em 1888 - assassinando e estripando pelo menos cinco prostitutas - sem nunca ter tido a verdadeira identidade revelada). A autora analisa fatos e disponibiliza partes do diário de Maybrick (escritos com sua própria letra e com a respectiva tradução), onde o mesmo confessa a autoria dos crimes. (SKOOB)



Eu adoro seriados policiais, sabe? Principalmente aqueles que falam sobre serial killers, como Criminal Minds (paixão, todos deveriam assistir <3), então fiquei animada quando vi que a Universo dos Livros iria lançar esse livro sobre Jack, O Estripador. Só que infelizmente o livro não era como eu pensava e... acabei desistindo. Podem me xingar, eu deixo. É feio desistir da leitura dos livros e, contando com esse, só fiz isso duas vezes. Só.

Abrindo um breve parênteses para quem não conhece a história desse serial killer. Jack, O Estripador foi um serial killer da Inglaterra que matava suas vítimas, todas prostitutas, de uma maneira muito cruel: estripadas e em algumas órgãos foram arrancados. Resumindo: ele nunca foi preso e nem souberam sua verdadeira identidade. Fim da história.

Quando vi sobre o livro, pensei que fosse uma ficção, sabe? Contando sobre os assassinatos dele e afins, como em um diário. Entretanto não foi isso que eu acabei encontrando. O livro se baseia numa espécie de 'diário' que os pesquisadores acreditam ser do Jack. Nele há uma possível revelação de que sua real identidade era James Maybrick.

No começo tem um prefácio escrito por um professor que ainda está na dúvida se o diário é real ou não, e nos incentiva a ler duas vezes: uma acreditando que o diário seja falso e outra com o pensamento de que é real. Ai começou minha frustração. Seria isso só suposições? No livro a autora fala do precedimento que eles fizeram para saber se o diário era real ou não, e até contou a história de quem levou o diário até eles.

Não consegui continuar minha leitura e olha que li mais de cem páginas. Eu tentei, juro, não queria escrever uma resenha baseada apenas nessas cem páginas e falando que eu abandonei. Mas acabou sendo inevitável. A história em si não é tão ruim, a autora coloca os fatos achados de uma maneira que conseguimos entender. Só tem um problema: é muito cansativo. Não aguentei ler por isso e pelos outros motivos que citei acima, incluindo a frustração.

Resumindo: abandonei o livro, não era o que eu esperava e ainda me sinto culpada. Porém, se você se interessou mesmo assim, vá em frente e leia. Talvez o problema seja meu, não sei interpretar as sinopses. Tenho sérios problemas. É isso. Minha frustrante resenha de Halloween, esse dia lindo e iluminado (?). Comemorem e tenham cuidado dobrado, por favor. Nunca se sabe quando vampiros e outras coisas sobrenaturais podem começar a atacar. Fim.

Amada Imortal - Cate Tiernan.

Título: Amada Imortal.
Original: Immortal Beloved.
Autora: Cate Tiernan.
Editora: Galera Record.
Nota: 3/5.

Primeiro livro de bem-sucedida trilogia, mistura fantasia sobre imortais a uma história moderna de jovem em busca de si mesma e de redenção. Questões de identidade e moralidade aparecem na trama, protagonizada pela imortal Nastasya. Nascida em 1551, acostumada a beber e sair para baladas cada vez mais loucas, ela perdeu o rumo. Suas conexões com outros imortais, interessados apenas em suas habilidades mágicas, a fazem partir em busca de um propósito. E o encontra em uma espécie de clínica de reabilitação para os de sua espécie, onde conhece um pouco mais sobre o próprio passado e cria importantes laços para o futuro. (SKOOB)

Não, não desisti do blog e sim, ainda estou viva. Só que uma doença genética se instalou em mim: preguiça. Essa doença não me deixava fazer resenha - e nem ler praticamente, estou muito lerda -, mas aqui estou para falar desse livro.

O livro conta sobre Nastasya, que foi amaldiçoada com esse nome ridículo (essa parte é mentira, mas o nome não é muito bonito), e que é imortal. Ela vive em festas com seus amigos também imortais, bebe todas, não quer saber de nada na vida. Até que um dia ela presencia seu amigo cometendo um ato terrível: torturar e matar um homem. Nas então foge e vai para uma (they tried to make me go to) rehab (but I said no, no, no) dos imortais e tenta dar um novo rumo em sua vida, viver as coisas boas. Lá ela encontra um estranho garoto que lhe é familiar e de quebra ainda é super gato. Nesse lugar ela vai tentar encontrar paz na sua vida e descobrir algumas coisas básicas dos seu passado. Sabe como é, lembranças e coisas assim. Sem mistério não tem graça.

Eu estava com minhas expectativas muito elevadas para esse livro. Sei que isso não faz bem, mas provavelmente deve ser um problema genético. A autora escreve bem, a narrativa é em primeira pessoa e a Nas é uma personagem bem interessante e engraçada. Entretanto, estaria mentindo se dissesse que não fiquei confusa algumas vezes. Muitos nomes e detalhes, acabei não me entendendo com todos. Tem alguns flashbacks, o que eu simplesmente amei! Todo livro deveria ter alguns flashbacks básicos. Eu adoro.

O livro gira em torno de uma trama bem interessante. Adoro imortais (saudades Damien <3, de você Ever q) e essa história me cativou. Achei que poderia ter um pouco mais de ação no final. Estava esperando algo bem diferente, mas tudo bem, terá mais livros e a autora necessitam de deixar esses detalhes e ações para os próximos. Tirando essas partes que me incomodaram, eu gostei do livro no geral. Tem muito potencial - e eu espero que a autora saiba como usá-lo de uma maneira boa.

Não tive problemas com os personagens. Nas no começo é uma garota super fútil e bobona. Eu queria dar um tapa bem dado na cara dela para ver se aprendia. Depois ela se tornou mais... matura. Acho que consegui visualizar todo esse amadurecimento dela durante o livro. Os amigos dela são insuportáveis e aposto que ainda proporcionarão muitos problemas para nossa pobre coitada mocinha. O Reyn, o mocinho sensual, também é um completo bobo no começo. Ele tem um mistério que nem a Nas sabe qual é (só no final do livro ela descobre, dai a tela escure e fica igual o final do capítulo daquela ex-novela das oito q) e que me surpreendeu muito. Não estava esperando pelo que veio. Enfim, ele fica melhor com o passar da trama. River, a mulher que cuida da rehab, tenta sempre ajudar as pessoas e trazer o que elas têm de melhor. Gostei dela, apesar de algumas vezes querer socá-la também. Amor e ódio com esse livro.

"- Sim. Reyn é nosso especialista em cavalos. Ele tem um ótimo assento.
Eu sorri.
- Percebi.
O rosto de Reyn se contraiu e Nell ficou vermelha, parecendo sem graça.
- É um termo equestre.
- É mesmo? Pensei que você estava falando da bunda dele." Página 91.

Resumindo: eu recomendo para as pessoas que gostam do tema sobrenatural e apesar de alguns pontos negativos que acabei encontrando, acho que os próximos livros tem muito potencial. Vamos esperar para ver. Amada Imortal é o primeiro volume de uma trilogia e foi lançado aqui pela Galera Record. Fim.

Promoção Entre Blogs: 2 anos de Mundo Platônico.



Eu sei o que vocês estão pensando: 'ta louca, menina? Seu blog é o This Adorable Thing'. Eu sei gente e o blog também faz aniversário esse mês, já postei aqui sobre isso. Entretanto, outubro é o mês de aniversário do Mundo Platônico, e ele está comemorando dois anos *-*
Para não deixar  este aniversário passar em branco, a querida da Gabi decidiu juntar os blogs que acompanharam e apoiaram o Mundo Platônico nesses anos, para realizarmos uma promoção entre blogs para os leitores. Serão três vencedores que em ordem de sorteio poderão escolher entre os livros “LADRÃO DE ALMAS”, “ESTILHAÇA-ME” e “STARTERS”.

a Rafflecopter giveaway

OBSERVAÇÕES IMPORTANTES:


  • - Para participar é OBRIGATÓRIO curtir as fanpages dos blogs participantes e twittar a frase promocional, a chances extras são seguir os blogs no twitter.
  • - É necessário COMENTAR no post da promoção, em pelo menos um dos blogs, para validar sua participação.
  • - Serão três os sorteados, o primeiro escolhe um entre os três livros da promoção. O segundo sorteado escolhe mais um entre os dois que sobrarem, e o terceiro leva o último livro.
  • - Leia as REGRAS DE PROMOÇÕES. Dúvidas? mundoplatonico@hotmail.com ou @MundoPlatonico .
  • [EU FUI] 7º Encontro do Clube do Livro de Sorocaba.

    Olá, olá o/ Trago aqui o post sobre como foi o 7º Encontro do Clube do Livro de Sorocaba que teve como tema o livro 'A Culpa é das Estrelas' - super lindo, quem leu minha resenha sabe que eu simplesmente amei e tive que passar essa história para mais pessoas, por isso sugerimos o livro.

    O clube foi muito sofrido, muito sentimentos de dor e tristeza por conta desse livro. Esquecemos de levar lencinhos, mas tudo bem, ninguém chorou - pelo menos não muito. Contamos com a presença de uma convidada super especial: a autora de 'O Pássaro', Samanta Holtz. Já tinhamos conhecido essa querida no lançamento do livro dela aqui em Sorocaba, mas foi a primeira vez que ela apareceu no clube do livro - a primeira de muitas vezes, eu espero.

    Sorteamos alguns brindezinhos, que foi enviado pela Intrínseca, pulserinhas, marcadores e uma camiseta. Um livro também estava no sorteio, que foi gentilmente doado pela Camila - que participa sempre dos clubes.

    Algumas fotinhos básicas:




    E nesse mês de outubro o tema é Literatura Sobrenatural. Terá sorteio de três livros e se você for fantasiado ainda participa de um sorteio extra! Te esperamos por lá. Fim.


    2 anos de This Adorable Thing!


    Olá pessoas o/ Hoje o blog completa dois aninhos e eu tinha esquecido. Eu sei, sou uma péssima blogueira e tinha tanta coisa acontecendo mês passado na faculdade e afins, então acabei esquecendo completamente que hoje o blog estava comemorando aniversário de dois lindos anos. Mas tudo bem, vou fazer uma singela promoção para vocês e espero que gostem.

    Quero agradecer a todos que comentam, que participam das promoções ou que apenas olhem o blog e fecham a página. Muito obrigada a todas as blogueiras e blogueiros gracinhas que eu conheci por meio do blog, não vou citar todos pois vou acabar esquecendo de alguns. Entretanto, vou abrir um 'obrigada-mais-do-que-especial' para algumas pessoas. Primeiro, as meninas do Clube do Livro aqui de Sorocaba, especialmente a Ane e a Marta que bolam ideias mirabolantes comigo para que o clube fique cada vez melhor. Gracinha vocês duas. E mais duas pessoas que pegam meus livros emprestados para ler: Nicole e Juliana (essa última minha irmã gracinha e se eu não a colocasse aqui provavelmente levaria algum xingo).

    Bom, é isso ai pessoal o/ Obrigada por tudo e aqui está o livro que vou sortear, "PS Eu te Amo". 'Bora lá participar então? Sei que não é uma promoção tããão bacana, mas vou tentar fazer mais promoções por aqui nesse mês de outubro e novembro (que é meu aniversário) para compensar a falta delas no dia do aniversário do blog. A promoção de 1 ano foi bem melhor, é isso que vocês devem estar pensando e me xingando.

    Prêmio:

    - 1 kit do livro PS Eu te Amo.

    Informações sobre a promoção:

    - Não esqueça de ler o Terms & Conditions que está incluso no Rafflecopter.
    - Somente para quem tem endereço de entrega no Brasil.
    - A promoção vai de 10 de outubro a 31 de outubro.
    - Será apenas um ganhador.
    - Para se inscrever  é só inserir suas entradas no formulário abaixo.
    - A primeira inscrição é livre, para entradas extras leia a instrução de cada uma.
    - O sorteado será anunciado neste post após o dia 31 de outubro de 2012.
    - O sorteado terá 3 dias para retornar o e-mail com seus dados, ou um novo sorteio será realizado.  
    -  Na opção twittar sobre a promoção, basta clicar no ícone do twitter que uma janela aparecerá com a mensagem que você deve twittar e é só confirmar e depois copiar o link e colar no local indicado.
    - Usar o tweet about the giveaway apenas 1 vez por dia, com a seguinte frase: "Vou comemorar o aniversário de 2 anos do @thisadorable e ganharei o kit de PS EU TE AMO"

    a Rafflecopter giveaway

    Só isso pessoal. Muito fácil, não é? Então 'bora participar para comemorar o aniversário do blog o/ 

     
    Layout de Giovana Joris