Mar da Tranquilidade - Katja Millay.

Título: Mar da Tranquilidade.
Original: The Sea of Tranquility.
Autora: Katja Millay.
Editora: Arqueiro.
Nota: 3/5.

Nastya Kashnikov foi privada daquilo que mais amava e perdeu sua voz e a própria identidade. Agora, dois anos e meio depois, ela se muda para outra cidade, determinada a manter seu passado em segredo e a não deixar ninguém se aproximar. Mas seus planos vão por água abaixo quando encontra um garoto que parece tão antissocial quanto ela. É como se Josh Bennett tivesse um campo de força ao seu redor. Ninguém se aproxima dele, e isso faz com que Nastya fique intrigada, inexplicavelmente atraída por ele. A história de Josh não é segredo para ninguém. Todas as pessoas que ele amou foram arrancadas prematuramente de sua vida. Agora, aos 17 anos, não restou ninguém. Quando o seu nome é sinônimo de morte, é natural que todos o deixem em paz. Todos menos seu melhor amigo e Nastya, que aos poucos vai se introduzindo em todos os aspectos de sua vida. À medida que a inegável atração entre os dois fica mais forte, Josh começa a questionar se algum dia descobrirá os segredos que Nastya esconde – ou se é isso mesmo que ele quer. Eleito um dos melhores livros de 2013 pelo School Library Journal, Mar da Tranquilidade é uma história rica e intensa, construída de forma magistral. Seus personagens parecem saltar do papel e, assim como na vida, ninguém é o que aparenta à primeira vista. Um livro bonito e poético sobre companheirismo, amizade e o milagre das segundas chances. (SKOOB)
Demorei tanto pra terminar esse livro que estou até feliz por finalmente poder fazer uma resenha para ele. Estava bem ansiosa para essa leitura já que parecia ter um tema bem intenso e o livro ser cheio de reviravoltas e afins. Não foi exatamente o que eu estava esperando, entretanto não foi uma leitura ruim. Vamos à resenha.

O livro conta sobre Nastya, uma garota que se mudou recentemente para a casa da sua tia para tentar deixar um pouco do passado para trás. Um grave acontecimento marcou a vida dela, fazendo com que sua identidade fosse perdida, sua mão machucada e impossibilitada de tocar piano, e ainda a fez perder a vontade de falar. Ela encontra maneiras de tentar manter qualquer um longe dela nessa nova vida, porém Nastya não contava encontrar um garoto tão parecido com ela. Josh parece ter um campo de força negativo ao seu redor, as pessoas simplesmente não o querem por perto, porque a morte parece que o persegue. Então é assim que essas duas pessoas vão se conhecer e toda a trama vai acontecer, não posso contar tudo pra vocês.

De fato, é uma leitura bem intensa. Tem uma carga pesada de emoções, os protagonistas são totalmente imperfeitos e ainda tem o mistério por trás do passado deles, principalmente da Nastya. O livro intercala narrações de ambos os protagonistas, o que ficou muito bom. Tem bastante narração e é uma leitura bem vagarosa. Eu não conseguia ler muitas páginas por dia, acaba ficando com a impressão de que nada acontecia, parecia tudo parado. Acho que isso foi importante para a trama do livro, já que as coisas na vida não acontecem rapidamente de uma hora pra outra, só que fez a leitura dessa pobre leitora ser um pouco menos agradável do que ela achava que seria. A gente só reclama, né? Quando o livro é muito rápido, reclama. Quando é muito lento, reclama. Viu, só reclamação, que triste (?).

Entretanto, apesar desse fato ter me desagradado bastante, teve vários outros que foram bons. O mistério em volta do que aconteceu com a Nastya foi muito bem montado, em cada capítulo ela dava um pequeno detalhe a mais, fazendo com que ficássemos cada vez mais curiosos. Só que a resolução de tudo isso... eu não sei, eu acabei não gostando tanto. Acho que é porque minhas opiniões previamente formadas interferem no quanto eu gosto daquilo, dependendo do que acontece. Achei que ficou bom para o livro, porque tem todo um lance de segundas chances e de como é importante você amar a si mesmo também, pelo menos foi o que eu consegui tirar dele. Só que eu acabei não gostando, então o problema é comigo mesmo, mas ainda bem que consigo separar o que é bom pra mim e o que é bom pro livro (?). O final ficou muito digno, eu não poderia querer nada diferente do que foi. Temos que aceitar que muitas coisas na nossa vida acontecem e não podemos mudar isso, só podemos nos perdoar, aceitar as coisas como são e seguir em frente. Só que isso não é sempre fácil de fazer e esse livro mostrou isso, o que me agradou bastante. É uma leitura intensa, lenta, porém muito interessante. Foi uma boa leitura no final das contas, de verdade, fiquei feliz por tê-lo lido.

A Nastya é muito teimosa. Ela não fala desde o dia em que sua vida se perdeu, porém isso é uma escolha dela, sua voz ainda está intacta. Ela corre todos os dias, sempre atenta a tudo que está ao seu redor, para poder se livrar da sensação ruim que se apodera dela. No colégio usa roupas vulgares, para que isso a distancie das pessoas, porém não conseguiu isso por completo. Fiquei muito brava com ela em várias situações, porém não deixava de entender o lado dela e como toda a sua vida perfeita foi desfeita. O mais legal foi que os protagonistas tinham todo aquele ar de imperfeitos, o que os tornavam mais reais. Isso foi muito bom pro livro, gostei. Josh é um garoto sozinho no mundo, apesar dos pais de Drew, seu melhor amigo, sempre estarem por perto para ver se precisa de alguma coisa. Adora fazer móveis, principalmente na sua garagem, e foi o pai que o ensinou. Eu o adorei, simples assim. Claro, tem todo aquele lance de defeitos que eu já citei, mas no fundo no fundo ele é uma pessoa maravilhosa, só que sofreu perdas demais pra uma pessoa da sua idade. A única coisa que eu detestava neles dois era o apelido que o Josh deu pra Nastya: Flor do Dia. Sério, de onde esses apelidos vêm e porque eles são usados? Não é legal, não gostei, mas tudo bem. Ainda tem o Drew, que é o melhor amigo do Josh e é super mulherengo. Ele faz amizade com a Nastya também. Não gostei dele, o achava insuportável e não via a hora dele sair de cena. Juro, que tenso. Mas enfim, essa é a vida.


Resumindo: o livro é bem escrito, com personagens bem desenvolvidos e com características marcantes, é intenso, só que tudo acontece bem devagar, o que não fez minha leitura ser muito bem aproveitada. Mas no final das contas foi um livro bom e que eu com certeza recomendo para todo mundo. É isso, leiam. Só, fim.

11 comentários:

Samantha M. disse...

Olá, Vanessa!

Hmm, finalmente uma resenha com pontos positivos e negativos! Geralmente os posts que vejo sobre esse livro são sempre só elogios, o que me deixa um pouco receosa em me decepcionar com a leitura. U.u'

Beijos,

Samantha Monteiro
http://www.wordinmybag.com.br/

Sil disse...

Eu me encantei com esse livro desde que lançou. A capa é perfeita. Quero ler, mas não no momento. É um livro que tem que estar no clima para ler, se não vou ficar empurrando com a barriga.

Blog Prefácio

Hangover at 16 (contato) disse...

Uow! O livro parece ter uma temática até que simples, mas é carregado de sentimentos pesados que não tem como deixar a leitura de lado. Adorei os pontos que você citou, é bem legal quando os autores montam os personagens deixando claro os defeitos deles, e de como eles provavelmente vão conseguir sair do mundo fechado que criaram *ou não né*. E também me enche história parada. Já basta a nossa vida real, né? Se for pra ser assim nem leio livro UHAHUAH

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
Tem resenha nova de "Eleanor & Park" no blog, vem conferir!

Inês Gabriela A. disse...

Não curto muito livros lentos, sei que na vida real as coisas não acontecem de uma hora pra outra, mas na ficção acho que o ritmo adotado tem que ser mais rápido para a leitura se dinâmica. Já desanimei com a obra.

memorias-de-leitura.blogspot.com

Vanessa Vieira disse...

Gostei da resenha Vanessa. Tenho muita vontade de ler este livro e apesar da narrativa ser um pouco arrastada, acredito que irei me emocionar bastante com ele. Beijo!

www.newsnessa.com

Sofia disse...

Eu estava bem animada para ler Mar da Tranquilidade mês passado. E agora estou com ele aqui e com absolutamente nenhuma vontade de ler. Não sei, sabe quando você desanima do nada? Pois é. De qualquer forma, espero gostar.

Beijo

Luiza disse...

Tenho que ler, já está na lista.
Bjs
http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

Rayra Mirelem disse...

Olá Vanessa.
Esse é um livro a qual eu não iria curtir a história, principalmente porque eu não gosto de personagens muito teimosos hehe...

Beijos, Paradoxo Perfeito

Andressa Menezes disse...

Oiee

Li esse livro essa semana e também nao gostei muito fiquei com raiva de todos os personagens também e nao curti esse trauma da Nastya se afastar até da familia sei la achei o livro mais do mesmo.

Beijos

www.livrosechocolatequente.com.br

Angela Graziela disse...

Não conhecia esse livro, mas gostei bastante da resenha, bem feita
Mas ando tão sem tempo para novos livros
Já estou seguindo ;)

Beijos
http://pocketlibro.blogspot.com.br

Helana Ohara disse...

Mar de Tranquilidade parece ser bem legal. Sendo da Arqueiro certamente é um bom livro.

Beijinhos, Helana ♥
In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

 
Layout de Giovana Joris