Caminhos de Sangue - Moira Young.

Título: Caminhos de Sangue - Dustland Livro 1.
Original: Blood Red Road.
Autora: Moira Young.
Editora: Intrínseca.
Páginas: 352.
Nota: 4/5.

Saba passou a vida inteira na Lagoa da Prata, uma imensidão de terra desértica assolada por constantes tempestades de areia. O lugar não a incomoda, contanto que o irmão gêmeo, Lugh, esteja por perto. Quando, porém, uma gigantesca tempestade chega trazendo quatro cavaleiros de mantos negros em seu rastro, a vida que Saba conhece chega ao fim: Lugh é raptado e ela tem que embarcar em uma perigosa jornada para resgatá-lo. Repentinamente jogada na realidade selvagem e sem lei do mundo além da Lagoa da Prata, Saba não consegue pensar no que fazer sem Lugh para guiá-la. Por isso, talvez a maior surpresa seja o que descobre sobre si mesma: é uma lutadora incansável, uma sobrevivente feroz e uma oponente perspicaz. Com a ajuda de um audacioso e atraente fugitivo e de uma gangue de garotas revolucionárias, Saba se torna a protagonista de um confronto que vai mudar o destino de sua civilização. Com ritmo arrasador, ação constante e uma história de amor épica, Caminhos de sangue é uma aventura grandiosa ambientada em um mundo futurista e violento. (SKOOB)

Assumo que dos livros que chegaram aqui em casa nesse mês esse era o que eu estava mais curiosa para ler. Algo nele realmente me chamou atenção. Então quando terminei de ler fiquei apenas parcialmente satisfeita. O livro é bom, mas tem um pequeno defeito.

Saba mora num lugar chamado Lagoa da Prata junto com seu irmão, Lugh, seu irmão, Emmi, e seu pai. Tudo está normal, apesar da miséria total que é esse local. Mas ela não se importa, tudo está bem desde que esteja com seu irmão. Porém, um dia quatro cavaleiros chegaram até eles junto com uma tempestade de areia e foi ai que a vida dela praticamente acabou. Seu pai foi morto e seu irmão levado embora. Então que outra alternativa ela tinha? Foi atrás dele, mesmo sem saber onde realmente estava indo e... bom, dai a jornada começa. E com a ajuda de uma trupe de garotas e um atraente rapaz, ela vai atrás de seu querido irmão. E...Que a sorte esteja sempre ao seu favor (livro errado, mas enfim q).

Não sei minha posição em relação aos livros distópicos, mas até agora eles têm passado uma imagem boa. Pelo menos para mim, apesar de achar que eles são difíceis de resenhar. Juro. Por isso vou começar essa resenha falando do ponto negativo. Criticar é sempre mais fácil, né? (-not). Enfim, Caminhos de Sangue é um bom livro, mas peca muito na narrativa. O livro é em primeira pessoa, ou seja, é narrado pela personagem principal que não tem muito domínio da sua língua (não tem escola nesses livros distópicos?). Tudo bem, eu não sou exatamente um exemplo a ser seguido quando o assunto é gramática e coisas desse tipo (não mesmo, então se virem palavras erradas nas minhas resenhas me avisem), mas é estranho ver isso nos livros. Sei que foi proposital, só que é estranho ver 'falano', 'pensano', 'andano' e 'num'. Quando comecei a ler fiquei um tanto furiosa. Não me incomodo tanto se o jeito da frase está errada e coisas desse gênero, mas essas palavras ai acabaram comigo. Depois acabei me acostumando, mesmo que ainda não fosse interessante de se ver. E é isso.

Deixando esse ponto de lado, o livro em si é muito bom. É dividido por partes e cada uma delas tem o nome do local em que ela está passando para procurar o irmão. Gostei de conhecer um pouco sobre cada uma delas, mesmo não gostando dele nem um pouco. É tudo muito estranho pro meu gosto. Toda parte tem ação e surpresas das mais variadas. Mas o que eu mais gostei (se espantem galera) foi da evolução dos personagens durante a leitura. Não gostei deles, mas ainda assim foram bons personagens.

Saba é irritante e teimosa, por isso foi a que mais me surpreendeu. No início ela só ficava as sombras do irmão, sempre falando que ele era o sol e ela a noite, blábláblá. Resumindo: ele era o bom e ela não era. Quando ele foi levado e ela teve que procurá-lo, se transformou em outra pessoa. De repente Saba era uma guerreira que não se permitia desviar da sua missão nem por um segundo e, ao mesmo tempo, tinha coragem o suficiente para fazer qualquer coisa que garantisse sua sobrevivência. Fiquei chocada e muito feliz por essa mudança dela. Também tem a Emmi, a irmã mais nova dela, que era irritante e acabou se mostrando uma garotinha muito útil. Mesmo que ela só tenha nove anos de idade. Ela continuou irritante, só que melhorou em relação a outros detalhes. Foi nelas que a mudança ficou mais evidente, já que estão em quase todo o livro. Porém, não vou me esquecer dos outros, nunca me esqueço de ninguém.

Ash e Epona são as amigas revolucionários da Saba e a ajudaram em tudo. Apesar da protagonista querer fazer tudo sozinha, eu creio que ela não continuaria viva na metade do livro se não fosse por seus amigos/aliados. Ike e Tommo são os outros aliados, mas eu não sei o que falar deles. Agora do Jack... Ah Jack! Em algumas partes eu odiava ele e em outras eu adorava. Não é meu tipo favorito de mocinho, mas não foi tão ruim. Gostei.

O Lugh vai primeiro, sempre primeiro, e eu venho atrás.
E assim tá bem.
Assim tá certo.
É assim que tem que ser.
(Caminhos de Sangue - Página 7)

Resumindo: eu recomendo o livro se você conseguir deixar de lado essa narrativa nem tanto convencional. É bom, tem cenas interessante e bastante ação. Muito bom. Caminhos de Sangue é o primeiro livro da série/trilogia/saga/milhõesdelivros (não sei) Dustlands e foi lançado aqui pela editora Intrínseca, como todo mundo sabe. O segundo livro ainda vai ser lançado, mas vi lá no Goodreads que leva o nome de Rebel Heart. Já estou ansiosa. Fim.

13 comentários:

Clara Beatriz disse...

Não é a primeira resenha que eu vejo, eu acho, falando sobre essas expressões "falano", etc. Eu também acharia estranho. Porque é. Mesmo que você se acostume, sei lá.
maravilhosomundodetinta.blogspot.com.br

Mari Patrício disse...

É realmente estranho ler narrativas erradas ou diferentes do convencional, mas as vezes é isso que chama atenção do leitor. Não que eu curta ler um ~falano~. haha
Fiquei curiosa pra ler, mas acho que só isso. Não me chamou tanta atenção a ponto de eu querer comprá-lo.
Enfim, ótima resenha. :)

Mari
Papers Blood

The Lazy Girls disse...

Oie...
Já tinha visto esse livro mais não tinha lido nenhuma resenha sobre ele.
Realmente deve ser um polco irritante esses eros propositais que o livro trás.
Gostei da resenha!parabéns =]

Tem post novo lá no blog, quer ler?
http://falleninme.blogspot.com/ Desde já obrigada!

Luara Cardoso disse...

Ai, essa narrativa pra mim tá quase que fora de cogitação. Porque nossa, não vou conseguir ler um livro com o personagem "falano" assim. :(

Um beijo,
Luara - Estante Vertical

Mariana Ribeiro disse...

Olá, Van!!
Ainda não li esse livro, mas vi o pessoal comentar mesmo a respeito dos diálogos bem informais na trama o que me surpreendeu. AUSAUSHUASH Pelo menos agora eu entendo os motivos e acho que isso contribuiu para tornar o livro único e espero poder lê-lo em breve.
Sobre essa série/saga/milhões de livros, criei um post ontem falando a respeito desta maldição no meio literário. Sinceramente, estou bem desanimada de saber que os autores agora só planejam séries ao invés de livros únicos. AFF!!
Bjos.

Mariana Ribeiro
Confissões Literárias.

Nathália Risso disse...

Oi Van!
Eu amei esse livro, me surpreendeu demais! Acho que é isso que acontece quando você pega um livro para ler e não espera tanto...
A princípio achei estranho a narrativa, mas acabei me acostumando e esse fator não me incomodou, e "num" atrapalhou minha leitura hahahaha
Apesar de ser uma obra distópica, o livro é diferente!
Sua resenha ficou ótima, e concordo com você que livros distópicos são bem complicados de resenhar! A minha resenha desse ficou gigante uahsuahsuha
Obrigada pela visita e pelo comentário!
Tem post novo no blog: Resenha – Caminhos de Sangue
Beijos,
Nathi
Books in Wonderland / @bookswonderland

Taly disse...

V. Eu não li a resenha toda por que ainda não li o livro, mas enfim...esse ponto negativo que você mostrou me fez lembrar de Strange Angels e aquele irritante 'cê' que a autora insistiu em colocar no livro, arrrgh!!

Saudades linda <3

Lívia Carolina disse...

Oi Van
Eu acho que não me sentiria muito confortável com uma leitura onde "andano" "falano" fizessem parte do vocabulário dos protagonistas.

Ainda não me animei a ler nenhuma distopia - quem sabe mais pra frente!

Beijos

Paloma disse...

Gostei da resenha. Mas não tenho como ler o livro, eu não tenho.
Não sou muito de ler livros, mas deve ser legal esse livro. Já vi resenha positivas dele.

Beijos, Paloma.
http://espelhomeu-espelho.blogspot.com.br

Princess Teens * disse...

Eu não tenho paciência para livros assim. Não são min ha área, mas poderia tentar ler ele algum dia. Certeza que eu não iria gostar, mas ... vamos pensar. E acho que livro com a escrita 'andano' 'falano' não combina muito comigo ):

Beijos, Juliana.
http://bloggirlpop.blogspot.com.br/

Enfim Shakespeare disse...

Saba foi criada para amar mesmo seu irmão, mas se perceber foi esse amor que mudou o rumo da vida dela e fez essa história surgir.

http://enfimshakespeare.blogspot.com.br

Amanda Cristina disse...

Também acharia estranho (e muito!) se lesse algum livro com palavras assim, erradas... Mesmo que proposital, sei lá. Acho que não rola.
Já li algumas resenhas desse livro e nenhuma me deixou com vontade de ler. Talvez tenha a ver com o fato de eu não ter gostado de nenhuma das distopias que li até hoje (Destino e Feios) e fugir de Jogos Vorazes. u_u
Mas sei lá...
A narrativa desse livro me pareceu com a proposta do lançamento Starters da Novo Conceito. Provavelmente estou enganada, mas li a "introdução" que a editora diponibilizou e pela sua resenha a garota tem que proteger o irmão ou alguma coisa do gênero.
Nossa, eu odeio essas personagens que tem baixa auto-estima e ficam se criticando, peloamordedeus! ¬¬'
E odeio ler livros de série! Nunca consigo terminar, quando penso que estou chegando no final, o autor lança mais umas 900 continuações! É um porre completo! ><

Letícia Iauch disse...

Ei Van!

Eu adoro livros distópicos! Sei lá, são tão interessantes e inovadores e sempre prendem minha atenção.
Mas e essa narrativa aí?! Eu hein, já odiei só de ver. "Falano" é o fim UHSUHASHUAUHSUHA
Eu lerei o livro e muito provavelmente adoraria a história, mas odiaria a narrativa, o que me atrapalharia bastante :/

Bjoos'
Lets

 
Layout de Giovana Joris