Ligeiramente Casados - Mary Balogh.

Título: Ligeiramente Casados.
Original: Slightly Married.
Autora: Mary Balogh.
Editora: Arqueiro.
Nota: 4/5.

À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse "Custe o que custar!". Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum. Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele o que acontecerá em quatro dias. Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar. Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados... Neste primeiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos apresenta à família que conhece o luxo e o poder tão bem quanto a paixão e a ousadia. São três irmãos e três irmãs que, em busca do amor, beiram o escândalo e seduzem a cada página. (SKOOB)

Esse foi o último livro da minha mini maratona de livros históricos. Sabe, eu não era tão chegada a esse gênero literário, mas agora só consigo pensar o quão poucos eu tenho na minha estante e tento não ler todos tão rapidamente para que não esgote meu estoque, me deixando sem opções para ler e me fazendo comprar mais e mais. Vamos à resenha.

O livro conta sobre o coronel lorde Aidan Bedwyn, que fez uma promessa a um companheiro no leito de sua morte: prometeu que cuidaria da irmã do quase falecido, custe o que custar. Eis então, que cumprindo a sua promessa, Aidan chega até a casa da irmã de Percival, Eve, para dar a notícia do falecimento e ficar a sua inteira disposição. Só que Eve, uma garota generosa que cuida de várias pessoas como se fossem da sua própria família, não quer exatamente essa proteção de ninguém, mesmo que ela esteja a um passo de perder a sua fortuna e ser despejada, levando junto todas as pessoas que dependem dela. Claro, que o coronel Aidan logo tem uma ideia e propõe a Eve um casamento de conveniência, assim ela fica com a herança e com a casa, e ele consegue cumprir a sua promessa ao falecido irmão da moça. Só que nada sai como eles tinham planejado e logo o que eram apenas dias que pretendiam passar juntos, se passa semanas e eles logo começam a imaginar como seria se não estivessem apenas ligeiramente casados, mas sim casados de verdade. E é isso.

Quando eu comprei esse livro, não estava esperando gostar tanto quanto eu gostei, na verdade só comprei para minha irmã não pagar frete na compra dela quem nunca. Eis que agora estou mais do que imensamente feliz por tê-lo comprado, só podia ter lido antes e aproveitado essa deliciosa leitura. Bom, o livro tem aquela típica trama de romance histórico, toda aquela cordialidade entre os dois, o romance que vai se desenvolvendo aos poucos, o casamento arranjado as pressas e o puro amor que é o final. Sabe, acho que a maioria dos livros desse gênero tem um final parecido, mas isso não me desagrada em nada, adoro do mesmo jeito. Nossa, ainda acho estranho eu gostar tanto de um gênero literário como estou gostando nesse, eu geralmente sou uma chata pra tudo, como já puderam reparar em alguma das minhas resenhas aqui pelo blog ou não, sei lá. Gostei de como tudo foi passando até chegar ao encantador final. Adorei.

Só tive um probleminha, que pareço estar enfrentando com os livros históricos, é que tudo está indo muito bem, num ritmo incrível até chegar às páginas próximas ao final, daí parece que tudo fica mais lento e o tempo não passa. Sério. Então isso deixa a minha leitura um pouco mais lenta, porém não consegue estragar completamente a minha leitura, ainda bem.

Os personagens são muito bacanas, eu gostei de cada um a sua maneira e já estou ansiosa para os próximos volumes. Gente, muito fangirling, credo. Enfim, vamos começar pelo casal principal, Eve e Aidan. Eles são tão independentes e fortes, não querem deixar mostrar suas emoções um ao outro, o que os fazem estar sempre brigando na maioria das páginas. É até que bem engraçado, eu gosto quando os personagens brigam, desde que seja engraçado (?). Claro que os planos iniciais dos dois de apenas se casarem por conveniência e depois seguirem caminhos separados acaba não dando certo, senão o livro seria tremendamente sem graça. Eve é uma moça muito generosa e se preocupa com os outros, tanto que seus criados são pessoas que ninguém mais queria contratar devido a alguma coisa no seu passado, mas que para ela são seres preciosos. Ela tem dois filhos adotivos, digamos assim, um menino e uma menina, e é sempre muito bonito quando ela fala sobre eles. Claro que ela acaba relutando em casar com ele, porém como está para perder sua propriedade, acaba aceitando. Na verdade ela ainda não se casou porque estava esperando alguém especial volta da guerra, John, só que ele não lhe deu notícias nos últimos tempos e ela não vê outra saída a não ser desistir dele agora. O Aidan é um honrado coronel, que cumpre sua promessa de proteger a irmã de seu companheiro ao se casar com ela. Ele também tem alguém especial em mente, mas eu até esqueci o nome dela de tão importante que essa pessoa é na trama, que lindo da minha parte. Eu adorei os dois juntos, são tão engraçados e combinam a sua maneira estranha, sei lá, enfim, o que importa é que eu gostei deles, pronto.

Ainda vemos os irmãos e irmãos do Aidan, que serão os protagonistas dos próximos livros. Tem sua irmã mais velha, Freyja, e eu não tenho nem noção de como pronunciar esse nome. No começo ela parece ser tão arrogante, mas depois vemos como ela realmente é, eu acho. Tem Rannulf que não aparece tanto e o Alleyne, que é o irmão mais novo, o que parece ser mais legal também. E vamos combinar, os nomes são bem inusitados, né? Morgan é a irmã mais nova e apareceu pouco também, mas já prevejo que ela seja meio rebelde e espero pelo seu livro, tirando o fato do nome dela ser o mais ‘normal’. Não posso me esquecer de mencionar Bewcastle, o irmão mais novo e dono da propriedade da família. Ele é tão estranho e eu ainda não sei se gosto dele por completo, apesar de seus bons feitos durante o decorrer do livro. Enfim, vamos esperar e ver (?). Ainda tem todos os amigos da Eve, mas eu não sei direito o que falar de cada um, então vamos deixar como está.


Resumindo: adorei o livro, a trama é muito boa e agora estou ansiosa pelo próximo. O segundo volume da série Os Bedwyns é Ligeiramente Maliciosos, vai se focar no Rannulf e está previsto para ser lançado em abril pela editora Arqueiro. Alguém já está ansioso? Eu estou. É isso por hoje queridos e queridas, fim.

4 comentários:

thaila oliveira disse...

a arqueiro sempre arrasa, seus romances históricos são tops demais! quero ver se compro mais alguns em breve
http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

A Fine Frenzy disse...

Oi, Tata!
Este livro parece ser legal, mas por agora não tenho muita vontade de lê-lo. Até porque preciso ler os livros pedidos pela Professora shauhsua

Beijos, Juliana!
http://afinefrenzzy.blogspot.com.br/

Carolina Xavier disse...

Parece ser um otimo livro, não sou dessas que tem o hábito de ler, mas gostei tanto da sinopse, o cara cumpri o pedido do seu amigo, para proteger a irmã e até casa com ela, e quem sabe virar em um grande amor *-*
amei seu blog e estou seguindo beijos http://www.blogdaxavier.com.br/

Hangover at 16 (contato) disse...

Eu to looouca pelo segundo volume! Esse livro é lindo demais, concordo com tudo que você falou *-* e minha leitura nas páginas finais também sempre ficam mais lentas quando se trata de romance de época, acho que geralmente é porque o casal fica bem, tudo vai dando certo, e não tem mais aquela ansiedade de ver eles finalmente juntos

xx Carol
http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
Tem post novo sobre séries no blog, vem conferir!

 
Layout de Giovana Joris