Tão Mais Bonita - Cara Hoffman.

Título: Tão Mais Bonita.
Original: So Much Pretty.
Autora: Cara Hoffman.
Editora: Intrínseca.
Nota: 3,5/5.

Haeden é uma pequena cidade no norte do estado de Nova York que tem como principal empregadora uma fábrica de laticínios. Seus habitantes são pessoas que fincaram raízes por lá e nunca mais foram embora – pessoas que não gostam muito de forasteiros. É o caso da família Piper, que fugiu da confusão da cidade grande com sua precoce e encantadora filha, Alice, procurando um novo começo, e de Wendy White, uma mulher doce e caseira, que desapareceu misteriosamente. Recém-chegada a Haeden, a repórter Stacy Flynn decide reconstituir a vida de Wendy, que fora assassinada, organizando todos os fragmentos que encontra na tentativa de solucionar o caso. Ela escreve um apaixonado artigo para o jornal local, que desperta em Alice o desejo de também investigar o crime. Enquanto Alice e Flynn, separadamente, observam as pessoas ao redor em busca do assassino, o destino de Alice é entrelaçado para sempre ao de Wendy, quando um segundo crime abala as estruturas da cidade. (SKOOB)

Assim como a resenha de O Torreão foi a mais confusa que eu fiz, acho que a de Tão Mais Bonita será a que terá mais contradições. Eu realmente pensei em várias maneiras de fazer essa resenha e creio que vá sair completamente diferente de tudo o que eu planejei. Ou não, sei lá.

Bom, o livro é praticamente em torno de duas coisas: (1) do desaparecimento e morte de Wendy White e (2) Haeden, a cidade onde se passa a história. A vida de todo mundo que aparece no livro se entrelaça por causa desses fatores. Stacy Flynn é uma repórter que foi para essa cidade a fim de buscar o seu grande furo de reportagem. Haeden é uma pequena cidade dos EUA que ficou conhecida após o sumiço da Wendy (Peter Pan) e tem moradores bem chatos com relação a pessoas de fora - forasteiros. Essa também foi a cidade que os Alice veio morar com os pais bem pequena. Foi lá que cresceu e aprendeu tudo o que sabe - é claro, né? Ela é uma super gênio e vive pulando em seus trapézios improvisados no celeiros. Quando lê a reportagem que Stacy fez após descobrirem o corpo da Wendy, ela começa a ligar alguns pontos e lembrar de coisas que antes pensava que não era nada. Isso a faz tomar uma decisão: fechar seus olhos em relação a isso ou fazer alguma coisa para mudar. É então que o destino dessa pequena garota se entrelaça com a garota morta em mais um caso muito tenso para a pobre cidadezinha. Foi o melhor que eu pude fazer, em geral está bem parecida com a original. Minha imaginação ta ficando um tanto podre.

Sabe aqueles livros que você lê a sinopse, acha que sabe sobre o que se trata, mas quando lê é uma coisa totalmente diferente? É basicamente isso que eu achei de Tão Mais Bonita. É um livro intenso, não é fácil de ser lido e que fica na sua cabeça por um tempo. Fiquei a noite inteira pensando no livro e tentando capturar cada detalhe que eu possa ter perdido no caminho. Começando do começo (óbvio): a narrativa é um tanto confusa, eu assumo. É narrada por diversos personagens, às vezes em primeira e outras em terceira pessoa, e acaba não tendo um tempo definido para se passar. Algumas vezes somos levados para 1997, depois para 2006 e então de volta aos tempos atuais. No final acaba tudo se juntando e tomando um rumo muito bom, que me deixou muito surpresa. Mas não deixa de ser confusa... muito. Há também algumas cartas e depoimentos durante os capítulos, o que engana totalmente as pessoas. Isso que eu me senti por esse livro: surpresa e enganada. Apesar de o final ter me surpreendido, acabei me decepcionando da forma como terminou. Senti que não fiquei inteiramente satisfeita, faltou algum detalhe para acrescentar.

Apesar desses pontos negativos (o que rendeu ao livro menos 1,5 estrelinhas), o livro é interessante. Me surpreendeu, já falei isso, palmas para ele. O tema foi o que mais me agradou. 'Agradar' não é a palavra correta, mas essa é a única que eu consigo pensar. Fala sobre violência contra mulheres, o que está cada vez mais comum hoje em dia. Infelizmente. Até nos livros! É sempre as mulheres vítimas, não é? Escrevam um livro sobre uma mulher que mata homens, eu irei ler. Nada contra os homens, ok? Assim eles não vão comentar mais aqui no blog, só estou falando sobre o que o livro diz e que está acontecendo nos dias de hoje. Também fala sobre a sociedade um tanto machista em que vivemos, onde todo processo que acontece tem vários homens envolvidos. Me surpreendeu (essa é a palavra dessa resenha, conte quantas vezes eu disse essa palavra ou derivados dela e coloque nos comentários) positivamente, não esperava que fosse isso. Gostei.

Outra coisa que eu super gostei foi lembrar de um seriado que adoro enquanto lia esse livro: American Horror Story. Não só por ambos serem confusos, mas por outras coisas também, tipo paranoico. As pessoas do livro são loucas, francamente. Acho que a cidade é mal assombrada, será? Não é um livro sobrenatural e se fosse... provavelmente seria uma caso para Dean e Sam (olha os seriados reinando nas resenhas novamente, que saudades).

Personagens agora, adoro essa parte, por isso a deixo para o final. Achei todos muito estranhos e intensos. Alice é uma garota gênio que gostava de construir coisas, brincar de circo com seu amigo Theo e sair pelas ruas inventando novas maneiras de se divertir. Não sei o que falar dela depois do final, talvez... surpreendente? (mais uma para a contagem) Theo não é muito explorado, mas sempre está junto com a garota e também participou das loucuras dela quando criança. E depois de grande também. Era divertido ler as partes em que eles eram crianças, adoro elas em livros, são super gracinhas. Na vida real também, a dos outros, é claro. Voltando aos personagens, os pais da Alice são estranhos, não tenho outra coisa para falar deles. Stacy é determinada e meio paranóica. Ela realmente não parava de se preocupar com o sumiço sumiço da garota e formas de talvez poder salvá-la, provavelmente era a única que ainda fazia isso. Também vemos algumas partes da Wendy narrando e fiquei com dó dela, ninguém merece as coisas que ela sofreu. Triste.

"Estão procurando uma mulher de cabelo louro, castanho ou preto. Uma mulher de olhos azuis, talvez castanhos ou verdes. Ela pode ter 1,70 ou 1,75. O cabelo também pode ser ruivo, ou de uma cor artificial, como rosa ou branco [...] As buscas aumentaram nos meses de primavera e verão, e ainda procuram por ela. Como bem sabemos, para uma mulher que se encaixe nessa descrição, é muito fácil simplesmente desaparecer".
- Tão Mais Bonita, prólogo, página 7.

Resumindo: um livro intenso, surpreendente e pode ser muito confuso também. Entretanto é altamente recomendado se você gosta de livros assim. Espere muitas surpresas, viu? Só tenha certeza de que está no clima certo para ele, como eu disse, é beeem intenso. Tão Mais Bonita foi lançado pela Intrínseca aqui no Brasil e... porque esse nome? Eu não entendi também, deixe suas sugestões ai nos comentários baseado no que eu escrevi e na sinopse. Só mais uma coisa: quantas vezes eu disse surpreendente/surpresa? (esses também contam!) E essa resenha não foi tão contraditória, que bom, em compensação ficou enorme. Fim.

17 comentários:

Juan disse...

Vanessa,

Eu quero ler esse livro desde que li a sinopse, porque se fosse pelo título não teria dado muita atenção.

Mulheres vítimas, machismo, e coisas do gênero me lembrou o Stieg Larsson. Mas, quanto a parte "Escrevam um livro sobre uma mulher que mata homens, eu irei ler.", acho que você gostaria da Gretchen Lowell(Coração Ferido - Chelsea Cain), é uma serial killer mulher, então vai satisfazer os seus anseios.

Enfim, mesmo a história parecendo ser confusa, o fator surpreendente me interessou.

Abraços
Juan - http://sempre-lendo.blogspot.com.br/

Clara Beatriz disse...

Sua resenha ficou longa, mas gostei bastante! Acho que foi a primeira resenha que vi desse livro. Livros confusos são terríveis, é muito chato terminar um livro sentindo que perdeu alguma coisa. Ah, seu blog é lindo ^^
maravilhosomundodetinta.blogspot.com.br

Princess Teens * disse...

Adorei a resenha. Mas, não quero ler este livro, acho que não é o estilo de livro que eu ia gostar de ler. Você sabe né?

Ah, 10 vezes (:

Beijos, Juliana
Princess Teens

Poly disse...

Não gostei muito desse livro não. Quando li a sinopse já não tinha gostado muito, aí vc disse que era meio confuso, perdi totalmente a vontade :(
Bjusssss

Raquel Machado disse...

Oi flor,
Nossa que resenha hein...huahuaha...então começando acho que não ia gostar do livro por alguns pontos que tu citou como por exemplo dos trezentos personagens cada um narrando e volta ao tempo sei lá acho que ia me perder todinhaa...rsrsr...já gostei da maneira que tu citou o Dean e o Sam...hahuah nada tive que dizer isso aqui...sim sim entendi que é uma historia meio de suspense que se passa numa cidade misteriosa e que seria um ótimo caso para os irmãos winchester eheheh...America horror story to louca para ver algum para ver se gosto sabe o que estou vendo agora o once upon a time sabe...bem legal...nossa viajei voltando...enfim do livro acho que não ia gostar muito não me pareceu confuso demais então passo ele...ehehe
Bjssss
Raquel Machado
Leitura Kriativa
http://leiturakriativa.blogspot.com/

Julia G disse...

Não conhecia o livro, e pelo que você diz ele parece ser mesmo é sombrio. Eu gosto de livros assim, mas quando são bem elaborados. Talvez essa confusão seja proposital, pelo menos espero que seja.

Beijinhos

agnes disse...

eu gostei do nome. mas acho que seria melhor aplicado em outro livro, não?
sério que é tão surpreendente assim?! eu tb nao esperaria isso dele.. mas com uma protagonista com esse nome, temos que esperar de tudo! haha
gosto de livros confusos, mas quando as confusões são bem amarradas no final..
por isso, não sei se quero ler esse..

beijos - Rascunhos e Borrões

The Lazy Girls disse...

Oie!
Amei a resenha! realmente o que o tema tem a ver com a estória né?
E adorei a citação do Dean e do Sam kkk
Parabéns!
Dica anotada!
Obg pela visita lá no blog!
tem post novo se vc quiser ir lá e deixar um coment...
http://falleninme.blogspot.com
Bjão

Wanessa Guimarães disse...

Parabéns pela resenha! Não conhecia o livro ainda. Achei a história meio confusa também, assim como você havia mencionado. Mas, contudo, acho que leria sim! :-)

Beijo,
www.estanteseletiva.com

Nana disse...

E por que esse nome?
Eu não entendi também
HAHAHAHAHA ri demais.
Pois é, aparenta não ter nada a ver com livro..

Achei a história meio confusa O.o não curto muito essa coisa de entrelaçar ... coisas paralelas.. em livro deve ficar bastante confuso..
Em filme às vezes fica HAHAHAHA

Parabéns pela resenha

beijos
Nana - Obsession Valley

Bianca Sampaio disse...

Oi, Vanessa!
Não conhecia esse livro e é um estilo que, de fato, não me agrada. Gosto de coisas mais esclarecidas do que confusas. Tudo bem ter um mistério, mas não curto ficar confusa haha.

Beijos,
Bianca - www.epilogosefinais.co.cc

Carissa Vieira disse...

Me ganhou quando você disse que lembrou de American Horror History. Agora quero ler o livro, com certeza.

Beijos,

Carissa
http://artearoundtheworld.blogspot.com

Milena disse...

Fiquei com vontade de ler esse livro.. como você disse que é um livro difícil, bateu aquela coisa de "vamos ler então"... hahaha. Sei lá, quando falam que um livro é difícil de ler, que tem que processar a história, geralmente ele me ganha sem precisar de mais nada..

Beijos, Milena.
Livros na Cabeça

Luara Cardoso disse...

Tá aí um livro que eu não to interessada em ler, Van. Primeiro, eu li a sinopse assim que a editora disponibilizou e não me interessei.
Mas poxa, pra que complicar tanto uma narrativa? :(

Um beijo,
Luara - Estante Vertical

Letícia Iauch disse...

Ei Van!

Nunca tinha ouvido falar no livro, e simplesmente fiquei louca por ele *-*
Gosto dessas histórias em que tudo se encaixa no final, tudo faz um sentido, e melhor ainda se for surpreendente!
Talvez os livros perca alguns pontos comigo também por ser confuso, mas se o demais compensar, está ótimo!

Bjoos'
Lets

Ane Reis disse...

Oie Van =D

Olha que achava que este livro abordava qualquer tema, menos este que você descreveu.

Livros complexos são sempre mais complicados de resenhar, até por que nos deixam com opiniões divididas durante a leitura rs...

Ótima resenha flozinha!

bjus;***

anereis.
mydearlibrary | bookreviews • music • culture
@mydearlibrary

Blake disse...

Conheço o livro, mas ainda não tinha lido nenhuma resenha!
Confesso que adorei a sua e fiquei morrendo de curiosidade! rs
Adorei o blog e já estou seguindo, depois passa lá no Sook para conhecer.

BjO
http://the-sook.blogspot.com.br/

 
Layout de Giovana Joris