Pobre não tem Sorte - Leila Rego.

Título: Pobre não tem Sorte.
Autora: Leila Rego.
Páginas: 207.
Nota: 2/5.

Toda garota do interior sonha em se casar com o cara de seus sonhos, ter uma casinha, filhos e ser feliz até que a morte os separe, certo? E se esse cara for lindo, rico, super fashion e divertido? E se tal "casinha dos sonhos" for um mega apartamento no melhor bairro da cidade? Uau! Mariana encontrou o cara perfeito e vai se casar com ele! E nada de casinha! Isso é coisa de gente que pensa pequeno. Mariana vai ter o apartamento dos sonhos que já vem incluso no pacote: case com um homem rico e vá morar em grande estilo. E quanto a filhos e ser feliz até que a morte os separe... Bem, ela ainda não pensou nesses detalhes. Afinal as prioridades vão para as coisas bem mais interessantes como, por exemplo, o vestido de noiva perfeito, o que o colunista vai dizer sobre o seu casamento no tablóide de domingo, o que as amigas e inimigas irão comentar, quem entrará na lista de convidados para sua despedida de solteira, etc. Mas isso só sura até um dia em que Mariana... Bom, leiam o livro e descubram. (SKOOB)

Eu deveria ter feito essa resenha antes, entretanto enrolei tanto que ela só vai sair agora. O importante é que eu fiz, certo? Não sei, acho que isso. A Leila foi super querida e participou do nosso clube do livro aqui, falando um pouquinho sobre esse livro e... infelizmente não gostei tanto assim.

O livro conta sobre a Mariana, uma garota que está prestes a realizar seu sonho: casar com um cara lindo e rico. Em breve ela vai largar a vida com os pais e ir morar num apartamento maravilhoso. Ela acaba se envolvendo tanto nesse casamento, arrumando tudo, vendo como serão as capas de jornais, achando o vestido perfeito e pensando no que as pessoas vão achar de tudo isso, que acaba esquecendo um item muito importante: amor. Que linda minha sinopse.

Como eu disse, infelizmente não gostei muito do livro. O tema é interessante, tem várias partes divertidas. Gostei da parte da confusão do vestido de noiva da Mari e quando ela começava a falar dos 'partes pobres' da vida dela. É narrado em primeira pessoa, então isso acaba nos levando para dentro da cabeça da Mari (que é uma loucura, loucura, loucura). O desenrolar da trama é muito morno, as coisas só começam a esquentar e ficarem boas quase no final, então é provável que o segundo livro seja melhor - só que eu ainda não li. Voltando ao assunto, por ser em primeira pessoa, às vezes me vi perdida apenas nos pensamentos loucos da personagem principal. Muita futilidade para uma personagem só, sabe? Acabei não gostando muito por conta disso. Espero que ela mude no segundo livro.

Digo, a história é boa e a personagem é uma bobona, tem aquele lance de 'moral da história' no final. Só que faltou algum elemento a mais que despertasse meu total amor por ele. Uma pena. Eu também não gosto muito de chick-lit, alguns são muito 'mimimi' para minha pessoa. Não deixo de ler quando tenho uma oportunidade, porém não é meu gênero favorito.

Personagens agora. Odiei a Mariana. Como pode uma pessoa tão... assim como ela é? Eu não aguentava, tinha vontade de pular dentro do livro e agarrar no pescoço dela, apertando até não poder mais (esse blog não apoia a violência, beijos). Ela se importava muito com o que as pessoas iriam pensar, tinha amigas interesseiras e não dava valor para quem realmente merecia. O Edu também não foi aquele mocinho magnífico. É um bom personagem e fiquei com pena dele por estar com a Mari, esta tem que mudar muito para ter seu final feliz com ele (ou com qualquer outra pessoa). Os outros personagens não foram tão bem explorados, pelo menos eu achei, então resolvi comentar apenas sobre os principais.

"Quero que quando mencionem meu nome, a palavra chique venha logo em seguida. 'Conhece a Mariana Louveira? Nossa! como ela é chique!' É assim que  quero ser lembrada pelas pessoas. Quero ser a Sarah Jessica Parker do oeste paulista."
- Página 15.

Resumindo: não gostei tanto do livro como estava esperando, mas me rendeu algumas risadas, então foi válido. Não recomendaria se você tem problemas de agressividade ou ataques de raiva, as páginas do seu livro podem não sobreviver. Agora se você quer mesmo ler e ponto final, tenta a sorte e talvez até acabe gostando. Isso é tudo pessoal, fim.

10 comentários:

Aione Simões disse...

Oi Van!
Que pena que você não gostou do livro, sou doida pra lê-lo!
Pelas resenhas que vi, o segundo é melhor do que o primeiro, então talvez você goste mais dele!
De qualquer forma, tem uma chance de eu gostar mais do que você porque sou, por natureza, louca por chick-lits hehe!
Beijão!

Amiga da Leitora - Thais disse...

Van do céu, eu me acabo de rir lendo suas resenhas(pronto, falei)!! Adoro sua sinceridade.
Eu criei grandes expectativas para este livro (perigo), e estou super curiosa por ele. Ainda não comprei porque a grana está curta mesmo (pobre não tem sorte mesmo!! haha).
Gosto de livros em primeira pessoa, e o lado cômico é que me faz querer ler ele a todo custo .. haha

xoxo
http://amigadaleitora.blogspot.com.br

Alice Aguiar disse...

eu sou assim tb, quando quer ler um livro eu tento a sorte, eu quero ler esse livro mas tb nao sei se será bom né xp

Ane Reis disse...

Oie Van =D

Ah!!! Nós duas partilhamos da mesma opinião a respeito do livro rs...

Aff ... A Mariana é insuportavél, só Jesus para dar força viu.

Ainda não senti aquela vontade de ler o segundo livro, mas todo dizem que a personagem muda bastante. Oremos né =D

Ótima resenha linda!

bjus;***

anereis.
mydearlibrary | bookreviews • music • culture
@mydearlibrary

Rachel Lima disse...

Esse blog não apoia a violência: acreditamos, SUAHUSHAUSHAUHSAUSA.
AWN, que dó. Não ando gostando de livros com personagens pouco desenvolvidos, mas adoro chick-lit. Tenho vontade de ler, pensarei com carinho, USHUAHA. Adorei a resenha - as usual. Beijos <3

Chel Lima
http://corujando.org

Janna disse...

Ahhhh to triste com vc, que dó da Mari rsrs, leia o segundo vc vai mudar de opinião, tadinha ela éh meio assim fútil, mas aprende com os próprios tombos e ela vai mudar e ser uma pessoa melhor, eu curti o livro e mais ainda o segundo....tbm sou doida por chick lit rsrs...

Bjos!!!

@jannagranado
http://livrospuradiversao.blogspot.com.br

Grazy Souza disse...

Oi,
Pena você não ter gostado do livro, uma já quis lê-lo porque li que eu dar muitas risadas, mas por mesmo sendo engraçado (o que eu adoro) o genero não é dos meus preferidos, por isso foi pro final da fila. Mas quem sabe um dia eu ele não me convence.
Beeijoo!!!

Grazy
meusantidotos(blogspot)

Juliana Kobayashi disse...

Poxa... que pena q vc n gostou tanto assim desse livro, eu quero mto ele e ele esta na minha lista de desejados no skoob :x
mas acho q ainda vou dar um chance pra ele, como vc disse, as vezes eu posso acabar gostando!
boa resenha ;)
espero sua visita e comentario no meu blog!
bjs

TÍTULOS DE LIVROS

Raíssa Lins disse...

Nunca tinha escutado falar desse livro e ele me lembrou um pouco o Confissões de Laura Lucy, do qual eu também não gostei tanto. Uma pena, porque apesar de gostar de um bom chick-lit, não encontrei nenhum nacional à altura.
Beijos
http://trouxesteachave.wordpress.com/

Letícia Iauch disse...

Ei Van!

Ah, sabe, eu sempre tive vontade de ler este livro. Amo/adoro/sou chick-lits hahahahaha
É uma pena que a personagem seja tão fútil :/ Mas talvez eu acabe gostando, porque depois de ter contato com a Becky por livros, a gente acaba ficando "a prova de futilidades" HUSUHASHUAUH
Espero que, se um dia eu ler, goste (:

Bjoos'
Lets

 
Layout de Giovana Joris