Nosferatu - Joe Hill.

Título: Nosferatu.
Original: NOS4A2.
Autor: Joe Hill.
Editora: Arqueiro.
Nota: 2/5.

Victoria McQueen tem um misterioso dom: por meio de uma ponte no bosque perto de sua casa, ela consegue chegar de bicicleta a qualquer lugar no mundo e encontrar coisas perdidas. Vic mantém segredo sobre essa sua estranha capacidade, pois sabe que ninguém acreditaria. Ela própria não entende muito bem. Charles Talent Manx também tem um dom especial. Seu Rolls-Royce lhe permite levar crianças para passear por vias ocultas que conduzem a um tenebroso parque de diversões: a Terra do Natal. A viagem pela autoestrada da perversa imaginação de Charlie transforma seus preciosos passageiros, deixando-os tão aterrorizantes quanto seu aparente benfeitor. E chega então o dia em que Vic sai atrás de encrenca... e acaba encontrando Charlie. Mas isso faz muito tempo e Vic, a única criança que já conseguiu escapar, agora é uma adulta que tenta desesperadamente esquecer o que passou. Porém, Charlie Manx só vai descansar quando tiver conseguido se vingar. E ele está atrás de algo muito especial para Vic. Perturbador, fascinante e repleto de reviravoltas carregadas de emoção, a obra-prima fantasmagórica e cruelmente brincalhona de Hill é uma viagem alucinante ao mundo do terror. (SKOOB)

Eu nunca tinha lido nada do Joe Hill, apesar de já ter visto bons comentários sobre os livros dele e por ser, bem, o filho do King (sou influenciada por coisas boas, eu sei). Tentei então dar uma chance para esse novo lançamento dele aqui e ver se iria gostar ou não. E, bom, vamos à resenha.

O livro conta sobre Victoria McQueen, uma garota que tem um dom estranho: com sua bicicleta ela consegue atravessar uma ponte ‘imaginária’ e encontrar coisas perdidas em qualquer lugar do mundo. Isso é um segredo que ela guarda as sete chaves, já que qualquer pessoa acharia que ela era louca. Nem a pobre garota entende tudo isso direito. Charles Manx também tem um dom, só que ele não usa isso para o bem. Ele tem um carro que permite levar crianças para passear em um estranho parque de diversões: a Terra do Natal. Nesse caminho que eles fazem para chegar até o parque, seus passageiros vão ficando tão estranhos quanto ele. Então, Vic encontra Charles em um belo dia, só que ela consegue escapar das suas garras cruéis. Mas isso foi há muito tempo e Vic agora é uma mulher feita, que tenta esquecer o que passou. Porém Charles não esqueceu e está planejando uma vingança épica contra ela. É isso, nada mais.

É, não foi um bom livro pra estrear esse autor na minha vida literária. Não consegui aproveitar a leitura, infelizmente. O livro é narrado em terceira pessoa, possibilitando ver a trama de vários ângulos, incluindo às vezes até algumas pessoas que só apareciam uma vez na trama. O livro tem mais de 600 páginas e se arrastou em boa parte delas. O começo é legal, quando a Vic é criança e ainda estamos descobrindo mais sobre esse dom estranho que ela tem. Mas depois que ela cresce as coisas ficam tão estranhas (não de um jeito bom) e a trama parece se arrastar, tendo até alguns capítulos que praticamente nada de interessante acontecem. Isso me deixou desanimada, demorei muito pra ler o livro, acho que ainda intercalei outras duas leituras enquanto estava lendo ele. Não consegui me afeiçoar ao livro, infelizmente. Têm muitas palavras de baixo calão, algumas coisas que me faziam ter nojo só de ler, então isso também não contribuiu muito a favor do livro. Claro, eu já esperava encontrar uma coisa ou outra dessa no livro, só que não foi exatamente como eu achava que seria.

A explicação pro dom deles é bem, sei lá, não foi exatamente como eu pensava. Nada nesse livro foi como eu pensava que seria. O foco também não era nesse dom, sei lá o foco desse livro, eu estou um pouco traumatizada com essa leitura e desapontada, pra falar a verdade. Os personagens são todos bem estranhos. Estranho é a palavra chave pra essa leitura. A Vic era uma criança bela, porém seus pais viviam sempre entre brigas e quando eles se separaram, acho que foi um estouro na vida dela e tudo começou a desandar. Na fase dela adulta, as coisas são chatas. Ela vira uma chata. Entendo que ela tenha passado por muita coisa tensa na vida dela, mas mesmo assim não consegui me afeiçoar o bastante para gostar um pouquinho dela. O Charles é a personificação do mal, eu realmente tinha medo dele. Ele tinha um ajudante para fazer com que as crianças e as mães fossem raptadas. Enquanto Charles cuidava das crianças, Bing ficava com as mães. Eu não preciso falar o que ele fazia com as mães, acho que vocês já têm alguma ideia em mente. Tem ainda a Maggie, uma bibliotecária que ajuda a Vic a saber um pouco mais das coisas quando ela acaba por encontrá-la. Ela foi de quem eu gostei pelo menos um pouco nesse livro, a única, milagre.

O final não foi nada como eu esperava, nada foi. Eu gostaria mesmo de que essa leitura tivesse sido proveitosa, tentei fazer com que eu gostasse um pouco, mas só o começo foi realmente bom e merecedor das minhas poucas estrelinhas. Talvez não seja muito meu estilo de livro ou só comecei com o livro errado, quem sabe o autor não merece uma segunda chance. Vou pensar no assunto (?).


Resumindo: eu não curti o livro e fica até estranho dizer que eu recomendo, então não direi. Mas se você curte o tema, se já leu outros título do autor e gostou, vai em frente e talvez acabe gostando mais do que eu. Pode acontecer (?). É isso por hoje, fim.

5 comentários:

Natália Alves disse...

Que pena que o livro não tenha te agradado, eu não conhecia esse ainda mas já li A Estrada da Noite do autor e gostei bastante, a história é bem construída e o protagonista é ótimo.

Então fica aí minha recomendação caso você deseje dar outra chance ao Joe Hill rs'

Beijo,
Naty.

Raquel Machado disse...

Oi Nessa,
Sabe que não li nada do Joe Hill ainda também...mas tenho curiosidade naquele livro Estrada da Noite sabe...Pena que esse não chegou a ser bom para vocÊ, uma pena quando isso acontece, mas nem posso te aconselhar muito porque como disse ainda não li nada dele...rsrs. Enfim queria te convidar hoje também a conferir o post super especial que fiz sobre o lançamento do meu livro Vingança Mortal lá no Leitura. Se puder dar uma olhadinha e comentar, agradeço muito.
http://leiturakriativa.blogspot.com.br/2014/09/lancamento-do-meu-livro-vinganca-mortal.html
Beijos

Leeh Proença disse...

Oi, Van!
Eu já disse que adoro suas resenhas? Eu ri com você chamando o livro de estranho hahahahha até eu comecei a achar estranho sendo que nem li!
E como assim o foco não é o dom, se essa é a primeira coisa citada na sinopse?? E eu odeeeio personagens chatas assim. Pra mim, nada justifica, nada!
E gente, como assim o livro te traumatizou hhahahahaha juro que tô com medo de algum dia dar uma chance pra isso, viu?
Apenas medo desse Charles.

Beijos
Leeh - Caverna Literária

Andressa Menezes disse...

Oiee

Já li um livro do Joe e também achei muito forçado algumas coisas acho que o cara viaja mesmo ainda mais depois da sua resenha em outro livro kkkk realmente não é para mim os livros deles.

Beijos

www.livrosechocolatequente.com.br

Livy disse...

Oi Van =)

Eu estava bem curiosa para ler uma resenha sobre este livro... e eis que surge sua resenha... e eis que desanimei de ler o livro kkk.

Confesso que por alguns pontos que você citou na resenha, não é um livro que eu engoliria fácil. Parece ser até interessante, porém um livro cansativo e meio... nojento!?

Um dia se tiver com tempo sobrando posso até arriscar ler... mas por enquanto não é prioridade!

Ótima resenha =)

Beijos,
Livy
No Mundo dos Livros

 
Layout de Giovana Joris