Inferno - Dan Brown.

Título: Inferno.
Original: Inferno.
Autor: Dan Brown.
Editora: Arqueiro.
Nota: 4/5.

Neste fascinante thriller, Dan Brown retoma a mistura magistral de história, arte, códigos e símbolos que o consagrou em "O Código Da Vinci", "Anjos e Demônios" e "O Símbolo Perdido" e faz de Inferno sua aposta mais alta até o momento. No coração da Itália, Robert Langdon, o professor de Simbologia de Harvard, é arrastado para um mundo angustiante centrado numa das obras literárias mais duradouras e misteriosas da história: O Inferno, de Dante Alighieri. Numa corrida contra o tempo, ele luta contra um adversário assustador e enfrenta um enigma engenhoso que o leva para uma clássica paisagem de arte, passagens secretas e ciência futurística. Tendo como pano de fundo poema de Dante, e mergulha numa caçada frenética para encontrar respostas e decidir em quem confiar, antes que o mundo que conhecemos seja destruído. (SKOOB)

Eu não sei se vocês sabem, mas eu adoro os livros do Dan Brown. Também não sei se sabem, mas tenho a mania de começar as resenhas com a palavra “eu” (?). Enfim, claro que eu tinha que ler Inferno e ver se era mais um livro top de linha dele. Adivinha? Claro que é, mas não conseguiu entrar pros meus livros favoritos dele. Sou muito exigente (???).

O livro conta sobre mais uma das aventuras de Robert Langdon. Ela acorda em um hospital com um ferimento à bala na cabeça, porém não tem ideia de como foi parar lá. Ele que é super estudado do mundo logo percebe que está em Florença e leva um choque ainda maior. Ele não se lembra de ter saído dos Estados Unidos. Na verdade ele não se lembra de nada das últimas 36 horas. No hospital tentam novamente matá-lo, mas ele consegue fugir com a ajuda da Dra. Sienna Brooks. E daí tudo começa a pegar fogo quando eles começam a seguir pistas de um cara louco pelo livro ‘A Divina Comédia’ de Dante Alighieri. Ele podia ser obcecado por qualquer uma das partes desse livro clássico, mas é claro que ele prefere o ‘Inferno’. Essa humanidade não tem mais salvação mesmo, oh céus (?).

É loucura total esse livro. Adorei essa nova aventura do Robert. A narração é em terceira pessoa, nos mostrando então as duas faces da mesma moeda (?). Os capítulos são geralmente curtos e tem sempre alguma ação acontecendo, então é impossível ler apenas um e largar o livro para outro dia. Eu adoro capítulos curtos! A trama é genial, me senti uma bobona perto de todo o conhecimento de Robert sobre o mundo das artes e todo o resto. Ele é muito fera. Gostei de saber um pouco mais sobre o livro A Divina Comédia. Na verdade, a única coisa que eu sabia era o nome das partes, sério, que vergonha de mim. O mistério é de roer as unhas, eu nunca consigo adivinhar e no final me sinto enganada. Eu me senti enganada com esse livro. Tudo o que eu acreditava desmoronou (??). O que eu mais gostei foi do tema. Não sei se isso é spoiler, mas direi mesmo assim; fala muito sobre a superpopulação do mundo. No livro, a personagem diz umas possibilidades insanas para acabar com isso, porém não tira o fato desse... fato (?). Estamos nos multiplicando igual coelho. Não tinha lido nenhum livro que tivesse esse tema e acabei gostando bastante. Eu fiquei com medo do final! Gosto de finais tensos, mas esse me assustou. Na verdade, o que mais me assustou foi perceber o quanto somos vulneráveis. Ok, não vou falar mais nada, estou soltando muitos spoilers indiretamente (?).

A única coisa que me desagradou foi o fato de algumas partes serem bem lentas e tediosas. Geralmente o meio do livro é assim. O autor fica só no aquecimento para o final. Também tem muita coisa improvável de acontecer na vida real nesse livro, mas é ficção, então tudo é possível (?).

Robert Langdon continua como sempre. Super inteligente e craque nos símbolos escondidos. Pensando bem, ele é meio mole em algumas partes, geralmente as de ação. Mas a inteligência compensa esse pequeno descuido. Nesse livro, ele precisa lidar com a perda da memória e vai correr atrás das coisas para saber o que aconteceu e porque estão querendo matá-lo. Essa trama tem muitas reviravoltas e me deixou de queixo caído. A moça da vez é a Dra. Sienna Brooks, a jovem que ajuda o Robert a fugir do hospital quando ameaçam a vida dele. Eu me surpreendi com ela, acho que foi a melhor personagem do livro. Sienna ajudou muito o Robert e tem um importante papel na trama. Gostei dela, nada mal. O vilão é um cara que acredita fazer o bem para toda a humanidade com seu projeto doentio. Ele é um gênio meio lunático, sabe? Quase todos são assim, eu acho.


Resumindo: gostei muito do livro. A trama é boa e toma proporções globais. Bem interessante, uma ótima leitura, assim como todos os livros dele. É isso, nada mais tenho a declarar, fim.

7 comentários:

Glaucea Vaccari disse...

Sou fão de Dan Brown e tô louca para ler esse livro.
Também adoro capítulos curtos e não sei nada sobre a divina comédia hehe
QUero ler.
Bjo

Juliana Kobayashi disse...

Oi
quando mais nova eu era louca por esse autor, devora os livros dele em dois dias no máximo... quando saiu simbolo perdido eu comprei mas não li... o coitado do livro tá encalhado na minha estante até hj, por isso n comprei esse novo livro dele. Mas preciso dizer que gosto muito do Robert Langdon, ele é um personagem encantador, mas fiquei chateada por vc ter achado algumas das passagens lentas, pq o bom dos livros dele é q as coisas n ficavam paradas e vc precisava desesperadamente chegar ao próximo capitulo! kkkk
tem postagem nova no blog
espero sua visita
bjinhus

-TÍTULOS DE LIVROS

Raquel Machado disse...

Oi flor,
Tudo bom?
Faz tempo que não passo por aqui mas e que a vida anda corrida.
Tambem adoro os livro do Dan Brown e espero conseguir comprar logo esse apesar de estar em contenção de gastos, legal saber que este fala da divina comédia vou adorar saber mais sobre isso.
Bjsss
Raquel Machado
Leitura Kriativa
http://leiturakriativa.blogspot.com.br/

Sora Seishin disse...

Oi Vanessa!
Eu também adoro os livros do Dan Brown, e amei Inferno!
Confesso que torci para o vilão, ele me convenceu.

Beijos,
Sora - Meu Jardim de Livros

Erica Ferro disse...

Adoro o Langdon, cara. Acho ele genial. Dan Brown fez realmente um personagem cativante pela inteligência e simpatia.
Não li ainda esse livro, mas pretendo ler em breve.
Até agora do Dan, só li "O código da Vinci".

Beijo.
Gostei da resenha!

Sacudindo Palavras

Angela Graziela disse...

Acredita que nenhum livro desse autor consegue me chamar atenção
Tenho que pegar um para ler e quebrar esse preconceito

Beijos
@pocketlibro
http://pocketlibro.blogspot.com

Janna disse...

Oi Van tbm adoro o Dan Brown, já li 3 livros dele, mas foi a algum tempo atrás, fiquei super empolgada com sua resenha, pretendo em breve ter a oportunidade de ler.

Beijos!!!

@jannagranado
http://livrospuradiversao.blogspot.com.br

 
Layout de Giovana Joris